Uncategorized

Viajar nos países bálticos – Letónia e Lituânia

Viajamos para os países bálticos em 2016. Primeiro fizemos em maio a Letónia (Riga) e depois a Lituânia (Vilnius). Tanto estas duas capitais como Tallin na Estónia (que fizemos em agosto do mesmo ano) precisam apenas de um dia para ver o essencial na parte histórica.

No caso da Letónia e da Lituânia aproveitamos um dos feriados de Maio e em três dias visitamos estes dois países. Claro que ninguém consegue conhecer profundamente um país em tão pouco tempo mas tendo em conta que queríamos apenas conhecer as capitais foi mais do que suficiente.

Voamos de Stansted para Riga no sábado de manhã (a um horário proibitivo – 6:30!!) mas por causa da diferença horária e do voo longo (para padrões europeus) perdemos a manhã toda. Passamos a tarde de sábado e a manhã de domingo a visitar uma ensolarada Riga que adorámos! Aproveitamos para fazer um tour gratuito que foi dos melhores que já fizemos no mundo!

No domingo de tarde apanhamos um autocarro (Lux express – 10€ por pessoa) para Vilnius que nos deixou mesmo no centro da cidade! Os bilhetes podem ser marcados com antecedencia no site. Depois basta apenas imprimir o bilhete, trazer consigo e mostrar ao motorista.

Os autocarros sao super confortaveis e ate incluem Wifi gratuito e entretenimento a bordo. Como estes dois paises pertencem a Uniao Europeia nao existem sequer barreiras ou paragens na fronteira pelo que a nao ser que esteja atento nem sequer ira reparar quando passou de um pais para o outro.

lux-exp-1024x660.jpg

Esta empresa nao faz apenas os paises balticos, cobre imensos destinos em paises fronteiricos, como a Russia, Finlandia e Polonia por exemplo.

Na segunda passamos o dia a visitar Vilnius (que adorámos tanto ou mais do que Riga) e no final do dia voamos de volta para Londres.

lux_express_special.jpg
Fotografia retirada daqui.
Uncategorized

Free tour

Já tinhamos ouvido falar nelas através de uma amiga há muitos anos mas não ligamos na altura. Quando fomos a Dublin pela primeira vez alguém nos falou novamente e decidimos que estava na altura. Não era preconceito sobre o conceito de todo, era mesmo não perceber como funcionava, se não havia nenhum truque. A verdade é que há, mas não é nada de especial! As tours gratuitas, ou free tours estão espalhadas por todo o mundo e de facto são gratuitas como o nome indica. Só que no final pode (e deve!!) dar uma contribuição ao guia. São contribuições voluntárias, sem valor mínimo.

Estas visitas são normalmente (mas não necessariamente) dadas por pessoas novas, universitárias ou pouco mais velhas e normalmente atraem um público jovem. Por isso se gostam de visitas guiadas mas não querem pagar meio ordenado aqui está uma óptima opção.

E como funcionam estas visitas?

Primeiro que tudo pesquisem no Google pelo destino que vão visitar + free walking tour (exemplo: St Petersburg free walking tour). Vejam os resultados de pesquisa e cliquem no primeiro que vos pareça relevante. Verifiquem os detalhes (dias de semana, horas, quais os pontos que vão visitar e o ponto de encontro) e apareçam! Normalmente as pessoas estão sinalizadas com tshirts, chapéus ou outros objetos (no site normalmente encontram esta informação). Nunca fui a nenhum sitio que nao tivesse uma destas tours, pelo que aproveitem 🙂

Se estiverem a viajar sozinhos esta é a forma ideal de conhecerem pessoas. Quando fui a Israel conheci duas pessoas na free tour que me convidaram a ir a um jantar de Shabbat e irmos ao muro das lamentações depois. Se não fossem elas nunca teria tido está experiência! Nunca iria de noite sozinha ver o muro das lamentações numa quinta à noite!

Algumas dicas:

– Levem água e algumas barras / bolachas, às vezes estas visitas prolongam-se por horas de refeição.

– Não tenham vergonha, quando chegarem ao local apresentem-se ao guia

– Levem calçado confortável!

– Levem dinheiro certo para a gorjeta.

– Jamais deixe de fazer a sua gorjeta. Se não puder ficar até ao fim fale com o guia antes de sair do grupo e ofereça a sua gorjeta.

english-free-tour-01.jpg
Imagem retirada daqui.

Alguns exemplos de free tours:

Viagens

Mercados de Natal na Europa

Qual o melhor tema para iniciar Dezembro? Isso mesmo, Natal!! Todos os anos eu e o J visitamos um mercado de Natal. Apesar de a minha profissão me deixar um pouco farta de natal quando chega esta época mágica fico logo então espírito Natalino e esqueço os aborrecimentos. Assim aqui vai um post muito especial sobre os mercados que já visitamos:

– Londres – os mercados mais conhecidos são o de Southbank e o Winter Wonderland. Enquanto o primeiro e um mercado tradicional germânico apenas com barracas a vender artesanato, doces, salsichas, cerveja e vinho quente o Winter Wonderland é um autêntico parque de diversões. Pista de gelo, espectáculos, roda gigante, carrosséis e imensas barracas de artesanato, comida e bebida, é um dos mercados mais famosos da Europa. Vale a pena a visita principalmente durante a semana. Ao fim de semana fica tão cheio que é quase impossível lá andar. A entrada é gratuita, só tem de pagar pelas diversões que quiser usar. Fica localizado no Hyde Park. Mais informações aqui.

Berlim – A última passagem de ano foi passada nesta cidade e como tal tivemos oportunidade de visitar alguns mercados que ainda estavam abertos. Claro que os mercados são muito mais giros antes do Natal pelo que queremos voltar. Existem imensos mercados espalhados pela cidade. Localizações, datas e horários podem ser encontrados aqui.

Munique – este foi um dos primeiros que visitamos e um dos que mais gostei. Embora na verdade os mercados estejam espalhados um pouco por toda a cidade o maior (e melhor) ocupa a Marienplatz. Mais informação pode ser encontrada aqui.

Estugarda – esta cidade alberga um dos mais famosos mercados de natal na Alemanha e como temos família lá não podíamos deixar de visitar. E confere, é enorme e óptimo! O mercado é tão completo que até lojas existem no meio do mercado (em vez de barracas). Também tem imensas diversões para crianças e uma pista de gelo! Mais informações aqui.

– Essling – esta cidade situada a menos de uma hora de Estugarda guarda um dos mercados de Natal mais únicos da Europa, um mercado de natal medieval! Não contém com embalagens de plástico, luzes led infinitas, todo este mercado tenta recriar o que se passava há centenas de anos atrás. Sem dúvida que este mercado merece uma visita! Mais informações aqui.

– Zurique – esta foi a nossa escolha em 2017 e escrevi um post sobre os mercados de natal nesta cidade.

– Varsóvia – existem dois mercados de natal muito grandes nesta cidade, um à entrada do centro histórico e outro na praça do meio do centro histórico. Ambos valem muito a pena a visita. Não se esqueçam que a Polónia consegue ser ainda mais fria do que a Alemanha pelo que aconselho levarem agasalhos. Mais informações aqui.

Cracóvia – também tem um mercado óptimo. Uma vez que o visitamos depois de vir de Auschwitz a moral não estava lá mas sem dúvida que merece uma visita. Mais informações aqui.

Não se esqueçam, esta lista não é dos melhores mercados de Natal, mas sim daqueles que já tive oportunidade de visitar. No reino unido por exemplo existe outro que ainda não tive oportunidade de visitar e que é super conhecido, em Winchester.

Este ano vamos visitar Salzburgo, na Áustria. Estou MUITO entusiasmada porque é a estreia nos mercados austríacos!

 

Uncategorized

Bloggers que sigo!

Ja ha muitos anos que leio blogs e estao umas belas dezenas nos meus favoritos. Muitos de lifestyle, familias, decoracao e claro, muitos de viagens. Para alem de blogs ainda sigo muitos Instagrams e canais de Youtube de pessoas que viajam nas ferias (como eu) ou aqueles que conseguiram ter a coragem de arriscar e fazer das viagens o seu emprego full time.

E’ nestas pessoas, profissionais ou nao, que vou buscar muita da minha inspiracao. Leio e vejo os seus textos, images e videos sem fim, mesmo que nao tenha marcada nenhuma viagem para aqueles destinos. Aqui vai a lista dos meus preferidos:

Dri Everywhere – Nao causara nenhuma surpresa aos que me conhecem que a Dri esteja no top da lista. Eu e uma amiga minha (sim, tu S.) falamos nela como se a conhecessemos. Esta carioca ja viveu no Brasil, Portugal, Italia, Espanha, Reino Unido e este ano mudou-se com a familia para os Estados Unidos. O blog dela tem ja muitos anos e como ela ja viajou quase 100 paises cobriu muitos dos destinos que ja fui ou irei. Mais recentemente deixou de escrever tanto no blog e passou para o Youtube. Podem encontra-la no blog ou no youtube.

Alma de Viajante – e’ o meu blog de viagens escrito por portugueses preferido! Super objetivo e real, o autor deste blog ja viajou por todo o mundo e tem entrevistas de portugueses pelo mundo super interessantes.

Ela e’ Americana – a Liana e o seu filho Edi mora na Suica e viajam pelo mundo e tem um canal no youtube super interessante.

Helo Righetto – na verdade a Helo nao escreve so sobre viagens mas escreve tambem sobre viagems. E’ uma das autoras do Aprendiz de Viajante. Tem dois livros sobre Londres, um mais para iniciantes e outro sobre a Londres escondida (ou menos conhecido).

Viajo Logo Existo – Leo e Rachel Spencer fizeram aquilo que eu sonho (sera que sonho mesmo??), despedirem-se e viajarem pelo mundo. Neste momento em que escrevo este post ja visitaram 113 paises e partilham as suas aventuras aqui.

Joana.ek – embora ja nao escreva muito no blog, e’ no instagram que esta hospedeira de bordo da Emirates partilha as suas experiencias enquanto trabalha.

Lipstick and Luggage – mais um caso de uma hospedeira de bordo da Emirates. Gosto muito da escrita dela super positiva.

Samuel and Audrey – Mais um casal que se dedica a viajar. O canal deles do youtube e’ sinceramente fantastico e com dicas maravilhosas sobre comida, sitios a visitar e onde ficar.

Jo Land – Eu e a Maria Joao trabalhamos na mesma empresa (embora nunca juntas) e desde que soube que decidiu tornar-se freelancer e conhecer o mundo que nunca a parei de acompanhar. Podem acompanhar as aventuras dela aqui.

Viajar entre Viagens – querem saber como tirar o visto para o Uzbesquistao? Ou como se vestir no Irao? Este e’ o local para encontrar esta informacao. Nao espere aquele guia tipico, este casal que ja visitou mais de 80 paises ja foi aos sitios mais remotos do planeta.

The Whole World is a Playground – a Elaine e o Dave sao viciados em viagens e em visitar locais com o selo de qualidade da UNESCO.

 

Uncategorized

Malta – O que ver?

No seguimento do post sobre os custos aqui vao os highlights da visita a Malta.

Malta mistura influencias arabes, africanas e europeias. O terreno arido e os edificios de cor de areia dificilmente vos farao acreditar que ainda se encontram na europa.

Praia! Se vivem num pais onde as hipoteses de fazerem praia sao quase zero entao aproveitem! Nao esperem praias de areia, as praias em Malta sao (na maioria!) rochas com acesso direto ao mar ou praias de rocha. Mas a agua quentinha e’ optima e a ausencia de ondas ajuda a refrescar do calor abrasador! Recomendo visitas a Għadira Bay, Golden Bay, Pretty Bay (areia branca), Dwejra Bay, Armier Bay, Paradise Bay e Ir-Ramla ta’ Għajn Tuffieħa.

2014-09-04 11.25.35.jpg

2014-09-04 14.02.53.JPG

Mdina – situada mesmo no meio da ilha foi cenario para uma das series mais conhecidas, Game of Thrones. A sua planta labirintica e igrejas magnificas fazem com que este ponto nao deva ficar de fora.

This slideshow requires JavaScript.

Marsaxlokk – uma vila na parte oeste da ilha tem um porto onde podem encontrar os tipicos barcos com dois olhos, simbolo de Malta.

2014-09-02 14.04.292014-09-02 13.56.12

Valletta – a capital de Malta merece sem duvida uma visita. A sua arquitetura unica e emaranhado de ruas e cabos de electricidade vao ficar na sua memoria.

2014-08-31 12.14.31 (1).JPG

Vittoriosa, Senglea & Cospicua – do outro lado da baia, estas tres cidades que ficam coladas uma as outras sao sem duvida um marco a nao perder. Perca-se nas ruas, entre nas igrejas, pare nas esplanadas para comer e beber.

Malta e’ constituida por tres ilhas: Malta, Comino e Gozo. Embora tenhamos ficado a maioria da viagem em Malta, demos um salto a Comino onde vimos a Azure Window, pois tivemos a sorte de irmos a Malta antes de este simbolo desaparecer. Aqui vai a foto de recordacao.

2014-08-30 14.09.54.JPG

Popeye Village – Parque temático localizado na baia Anchor. Inicialmente foi construido para servir de cenario para o filme Popeye mas mais tarde foi transformado em parque de diversoes.

2014-09-04 14.02.28.JPG

 

Uncategorized

Malta – Custos

A viagem a Malta não foi muito estudada. Na verdade tenho como princípio abusar dos meus amigos e família que moram fora de Portugal para aproveitar para os visitar e abusar da estadia gratuita e Malta foi um exemplo disso. E, para alem da estadia gratuita, ainda tivemos a sorte de ter alguém que conhece bem a realidade local e nos levou a sítios que não conheceríamos sozinhos.

Por isso aqui vão os custos da viagem:

Voo – 254.38 libras / 317.98 euros

Carro em Malta – 170.55 libras / 213.18 euros

Custos no local – 479.22 libras / 490.42 euros

(cambio da altura da viagem – Agosto 2014)

Total: 817.27 libras / 1021.58 euros

No total estivemos 9 dias em Malta por isso a viagem custou 45.40 libras/56.75 euros por pessoa e por dia

Screenshot_20180917-144533_Instagram.jpg
Vista da varanda do L. e da D. que nos acolheram em Malta!
Uncategorized

Republica da Irlanda – muito mais do que Dublin

Republica da Irlanda – muito mais do que Dublin

Quando voltamos a Irlanda para visitar os nossos amigos tivemos o prazer de descobrir outro lado da Irlanda, muito mais autentica. Em apenas dois dias percorremos muitos kilometros e visitamos varios sitios fantasticos!
Todos nos sabemos que Lisboa nao representa todo o Portugal e Dublin nao representa tao pouco tudo o que a Irlanda do Sul, ou Republica da Irlanda, tem para ofecerer. E durante dois dias exploramos o “countryside” deste pais.

Castelo de Malahide – podem encontra-lo em Malahide, perto de Dublin. A historia do castelo comeca em 1185 por Richard Talbot. Que foi recompensado por Henrique II pelos bons servicos prestados a nacao. A casa foi habitada pela familia Talbot ate 1976, ate que a herdeira do castelo percebeu queseria dificil financeiramente manter a propriedade e a vendeu ao governo irlandes que a gere ate hoje. E’ um dos castelos medievais mais bem conservados do pais.

2016-01-16 10.33.28.jpg

Newgrange – é um mausoleu que faz parte do Conjunto Arqueológico do Vale do Boyne e e’ um dos uma das construcoes pre-historicas mais famosas do mundo sendo ainda mais antigo do que as piramides do Egipto. Embora tenha sido construido com o objectivo de ser um mausoleu o sol parece ter sido um elemento muito importante na construcao do edificio, pois o alinhamento solar em Newgrange é muito preciso. Neste local é ainda possivel visitar o museu.

Glendalough – aqui podem encontrar um conjunto monsterial criado por Sao Kevin no seculo VI e continuou a ser utilizado ate meados do seculo XVI. A maioria dos edifícios foram construídos entre os séculos VIII e XII. Depois da morte do Santo Kevin o espaco foi convertido num importante centro de peregrinação

2016-01-17 14.31.06.JPG

Dalkey – estância balnear a sudeste da cidade

Uncategorized

Dublin – o que visitar

Tive de recorrer as notas que escrevi na altura e às fotografias mas aqui vai um pequeno resumo dos pontos principais a visitar em Dublin:

Começamos a visita com uma visita guiada gratuita (ou que vive a base de gorjetas). Aqui vai uma dica sobre a 1ual escreverei em breve! É algo que fazemos normalmente pois dá uma vista geral sobre a cidade que estamos a visitar.

– The Spire (Connel Street)  – um mastro de 120 metros de altura, que mais parece uma agulha gigante. O nome oficial e’ monumento da luz. E’ considerada a maior escultura do mundo! O monumento foi construido como parte da revitalizacao da rua Connel Street. No mesmo local estava antes o “pilar de nelson” que foi bombardeado em 1966.

2013-10-19 18.30.40

– O’Connell Bridge – Mesmo ao pe do The Spire esta ponte e’ a ponte mais conhecida de Dublin e sera sem duvida um ponto que irao ter de passar.

– Trinity College – A universidade tem com uma biblioteca fantastica. A antiga biblioteca esta aberta todos os dias mas os horarios modificam ao longo do ano pelo que devem ser verificados com antecedencia.

– Grafton Street – Zona fantastica para umas compras
– Parques – No final da Grafton Street podem encontrar o parque St Stephen’s. Uns quarteiros a frente podem encontrar a Merrion Square

2013-10-19 17.00.57_2013-10-19 17.01.22

– Galeria Nacional – pode encontrar este edificio numa das ruas que circundam o parque Merrion. Aqui podem encontrar coleccoes de pinturas de artistas irlandeses, italianos, ingleses, holandeses e franceses.

– Museum Nacional – que é gratuito!
– Temple Bar – é uma zon situada na margem sul do rio que conservou a sua planta medieval, com muitas ruas estreitas e empedradas. É o ponto turistico mais conhecido de Dublin. Aproveitem para parar, aproveitar uma cerveja e descansar os pezinhos!

2013-10-19 12.55.51_2013-10-19 12.55.56_0000.jpg

– Guinness Storehouse – Aqui encontram o museu da cerveja Guiness. Mesmo que nao gostem de cerveja, tal como eu, nao deixem de visitar, o museu é fantastico e no topo vao encontrar um bar com vista 360 graus que tem a melhor vista da cidade.

– Henry Street – Aqui vao encontrar souvenirs bem mais baratos do que na Grafton Street.

– Christ Church e St Patrick Cathedral  – sao as mais antigas catedrais medievais de Dublin

– The Brazen Head – Este pub é o mais antigo do mundo e merece uma visita! Mais uma desculpa para descansar os pes!

– Castelo de Dublin – faz parte dos edificios do governo e foi sede fortificada do governo britânico na Irlanda até 1922.

– Zona do rio – fizemos um passeio ao longo do rio na parte mais moderna do rio. Sem duvida que merece uma visita, embora nao conste nos pontos indicados nos roteiros.

2013-10-20 16.41.17.jpg

Uncategorized

Tallin – Estonia

O J. ofereceu-me uma viagem a Helsínquia (fica a dica, podem sempre oferecer-me uma viagem, vouchers de viagens, hoteis, nunca falharão!) percebemos rapidamente que 4 dias em Helsínquia seria claramente de mais. E começamos a pesquisar o que fazer quando vimos que uma das hipóteses era dar um salto a Tallin, na Estonia. Sou sincera, se fosse eu a escolher tinha feito ao contrário (ficar na Estonia e dar um salto a Helsínquia porque fica mais barato) mas a cavalo dado não se olha ao dente!

Por cerca de 90 euros (45 euros cada um) apanhamos um ferry de manhã e regressamos ao final da tarde. Podem reservar aqui. A viagem dura cerca de uma hora, super simples. Não se esqueçam de que necessitam de cartac do cidadão/passaporte para fazer esta viagem, sem isto não poderão embarcar.

A viagem desde o porto até ao centro da cidade faz-se bem, sal cerca de 20 minutos a pé.

Um dia será mais do que suficiente para percorrer os pontos principais da cidade.

Comece pela igreja St Olaf’s. Por cerca de dois euros pode ainda subir à torre e ter uma vista panorâmica sobre a cidade. Continue para os miradouros de Patkuli e Kohtuotsa. Como estes são situados numa zona da cidade mais elevada poderá ter perspectivas diferentes da cidade.

2016-08-28 10.14.25-2016-08-28 10.14.28_0000.jpg

Continue até a um dos pontos mais conhecidos da cidade, a catedral de santa maria.

Desça pela Rua Pikk Jalg para aceder à parte mais baixa da cidade. Esta é a rua mais pitoresca da cidade com características mediecaks. Existem várias lojas mais dedicadas a souvenirs e pintura por aqui pelo que faça isto com tempo para desfrutar.

2016-08-28 11.06.32.JPG

Continue are à catedral Alexander Nevsky

Depois, e se puder, vá ao museu Kiek in de Kök  Museu da fortificação. Tallin tem uma grande muralha que ainda pode ser vista em varias partes da cidade e este museu retrata a importancia da mesma durante os ultimos seculos. Mas a melhor parte deste museum só está acessível se planear com antecedência! Todos os dias este museu organiza uma visita guiada aos tuneis da fortificacao, onde pode perceber como serviu de abrigo durante a segunda guerra mundial. No entanto esta visita so esta acessivel se marcada com antecedencia. Pode marcar enviando email para  kok@linnamuuseum ou na entrada do museu (nao se esqueca, tem de ir com antecedencia!). Nos marcamos com antecedencia e correu super bem!)

2016-08-28 11.21.44.JPG

Com este programa ocupou certamente a sua manha, por isso esta na altura de almocar. Se quer ter a certeza que vai ter uma experiencia gastronomica eslovena entao va ao restaurante medieval Olde Hansa. Obviamente que se trata de um sitio altamente turistico mas a experiencia vale a pena. O espaco e’ super bem conservado e recria a epoca medieval, com pouca iluminacao, funcionarios vestidos a rigor e receitas que remontam ao seculo XV. Pode reservar mesa aqui.

2016-08-28 13.53.02.JPG

Depois das energias restabelecidas e’ tempo de passear pela baixa. Comece com castelo Toompea que remonta ao seculo XI. Passe depois pela Igreja de São Nicolau e perca-se nas ruas da Raejoka plats, Katariina käik e Vene. Esta zona, super bem preservada, e’ muito bonita para passear, tirar fotografias e descansar um pouco da sua manha que foi dura. Tambem por aqui encontrara varias lojas onde podera encontrar recordacoes e artesanato. A pouco e pouco va caminhado na direccao do porto para apanhar o seu barco de volta a Helsinquia.

2016-08-28 16.07.142016-08-28 15.33.312016-08-28 14.12.532016-08-28 14.44.52-2016-08-28 14.44.57_0000

2016-08-28 16.10.11.JPG
Esta foto e’ ate’ hoje a minha imagem do fundo do ecra no meu computador!
Viagens

Munique

Todos os anos o eu e o J. vamos a um mercado de Natal. Eu adoro Natal e nao há nada mais natalício do que mercados germanicos ou de inflieninf germaninc. Em 2014 o destino escolhido foi Munique, um dos destinos mais procurados por pessoas que querem conhecer mercados de natal. Não vou mentir, a viagem foi completamente planeada à volta de visitar os mercados da cidade pelo que não visitamos muita coisa. No entanto, indo no Natal ou não, aqui vai o resumo daquilo que a cidade tem para oferecer:

Palacio Nymphenburg – comeco pelo melhor! Este palácio de influência barroca servia de residência de verão aos governantes da Baviera. Hoje em dia está aberto ao público que pode aproveitar a arquitetura desta obra unica. Os jardins também merecem uma visita, não perca!

Tenha em atenção que este palácio não fica na zona central de Munique, terá de apanhar um autocarro/trama.

Custo da entrada:

1 Abril – 15 Outubro – 11.50 euros

16 Outubro – 1 Marco- 8.50 euros

2014-12-08 11.08.45-2014-12-08 11.08.55_00002014-12-08 11.32.08-2014-12-08 11.32.20_0000

BMW World – Diria que provavelmente é a atração mais conhecida e Munique. No entanto eu não ligou nada a carros e o J. não insistiu. Os amigos com quem fomos foram e segundo a I. “Tem a evolução dos carros e motas até à atualidade! Mas acho que tem mais interesse para os gajos!” Ou seja, eu não perdi nada em não ir!! A entrada custa 10 euros.

Odeonplatz – uma das principais praças de Munique, foi construída para causar impacto às pessoas quando entravam na cidade.

2014-12-07 12.51.57.JPG

Praça Max-Joseph – nesta praça podem ver o imenso teatro nacional de Munique.

Munique Rezidenz – aqueles que e o maior palacpa urbano na alemanAl foi a residência oficial dos duques e reis da Baviera. Hoje em dia é o museu de decoração de interiores.

2014-12-07 13.17.38.JPG

2014-12-07 15.10.58.jpg

Hofbrauhaus – só tem duas horas em Munique? Então vá a este restaurante. Tudo o que pensa sobre a cultura germânica, mais concretamente da Baviera irá encontrar aqui. Senhoras vestidas com corpetes colados ao corpo? ✅ Litros de cerveja servidos em canecas? ✅ Grupos com música ao vivo que fazem lembrar o José figueiras a cantar tirolês? ✅ Mesas corridas que vai ter de partilhar? ✅

Marienplatz – esta que é a principal praça de Munique, é onde fica o principal mercado de Natal. A arquitetura à volta da praca é fantástica, especialmente a câmara municipal e tenho imensa pena de todas as nossas fotos terem as barracas do mercado embora ganhem um novo charme!

2014-12-07 10.15.26

Mas a grande surpresa de munique e andar sem rumo. Entrar nas igrejas e catedrais, subir a torres para ver a cidade de cima, andar nas ruas sem rumo…

2014-12-06 22.24.182014-12-07 10.23.562014-12-07 09.29.522014-12-07 10.20.002014-12-07 11.04.022014-12-07 12.14.072014-12-07 10.46.342014-12-07 11.11.05-2014-12-07 11.11.14_0000

Nota: o mapa tem pontos que não estão na lista em cima. Alguns não tivemos tempo de visitar, outros não merecem destaque na lista em cima.