Viagens

Londres – Tour “Mulheres incríveis e seus legados”

Quando moramos algum tempo num sítio temos tendência a descurar descobrir novos espaços, novos museus, novos restaurantes. E embora eu não moro Londres acabei por nos últimos anos evitar ir la. Porque gosto da minha paz do campo, porque é confuso, porque tenho tendência a explorar novos países. Mas este tour foi excepção.

Há vários anos que sigo a Heloísa Righetto. O seu trabalho na área do feminismo é notável e tenho aprendido imenso nesta jornada do feminismo com ela e com o conexão feminista. Já há dois anos que a Heloísa faz este tour em Londres. Mas por um motivo ou por outro ainda não tinha conseguido fazer este tour. Mas finalmente depois deste tempo todo finalmente consegui uma data que coubesse com a minha agenda.

Não vou ser spoiler porque acho que estragaria completamente a surpresa mas este tour acontece a sexta feira a noite e durante duas horas e meia (a três) preparem-se para percorrer praças e ruas mais ou menos conhecidas e conhecer mulheres mais ou menos conhecidas da história. Políticas, enfermeiras, amantes, entre outras, todas estas mulheres têm em comum terem marcado a história. 

Este tour não tem tem datas específicas e têm de estar de olho no Facebook da conexão feminista ou no Instagram da Heloísa para as novas datas.

Ah, antes que me esqueça, a Heloísa vai também fazer um tour sobre a Jane Austen em Julho, ainda não está esgotado por isso aproveitem!

20190322_192020.jpg

Links importantes:

Facebook da Conexão Feminista

Instagram da Heloísa Righetto

 

Viagens

Mónaco

Peço desculpa pela interrupção nos posts sobre a viagem a Cote d’Azur mas faltavam umas fotos. Este post e o próximo encerrarão a viagem.

Oobjetivo deste fim de semana prolongado era visitar o Mónaco, país 47 (mas quem é que está a contar? 🤣). Todos nós ja ouvimos falar do Mónaco por vários motivos. Seja pela família real, pela fórmula 1, o circo monte carlo ou pelas festas nos iates, o Monaco representa luxo, festas, riqueza. E como esperávamos o Mónaco é caro. Sabia disso há muito e quando tentei marcar hotel reforçou que esta ideia (uma das razões pelas quais ficamos em Nice).

Para chegar ao Monaco através de Nice tem duas opções: comboio (que demora cerca de 30 minutos) ou autocarro número 100 que parte do porto de Nice e demora cerca de uma hora e meia. Existem vantagens e desvantagens em utilizar cada um destes transportes. O comboio custa cerca de 4 euros, é mais rápido, passa a cada meia hora e tinha lugares vazios. O autocarro custou 1.5 euros, passa a cada 15 ou 20 minutos, tem uma vista panorâmica sobre a cote d’azur, MAS estava tão cheio que estivemos uma hora e meia em pé. Apesar de termos tido sorte porque conseguimos um espaço a janela (não se esqueçam de ficar do lado do mar) se não fosse assim não tinha válido de todo a pena. Uma hora e meia em pé depois de vários kms nas pernas para ver a vista não vale mesmo a pena…. E o autocarro acaba num sítio em Nice que ficava a mais de 20 minutos a pé do nosso hotel. Veredito? Comboio é melhor.

E então o que fazer no Monaco? Na verdade não contem com dias e dias de coisas para fazer. Mesmo entrando em museus e no casino (que não fizemos) um dia vai dar mais do que tempo para verem este país.

Comecem então pelo porto do Mónaco. Virados para o mar comecem a caminhar para vossa direita à volta da marina. Tirem várias fotos, vejam os iates. Quando chegarem mesmo ao final comecem a subir para o forte Antoine para verem as vistas. Parem várias vezes nas plataformas para tirarem fotos panorâmicas da zona da marina.

Quando chegarem ao topo continuem em frente, passem o museu oceanográfico (entrem se quiserem) e passem pela catedral de São Nicolau. Entrem no bairro a esquerda da catedral onde podem aproveitar para almoçar se for hora disso.

2019-02-16 13.05.32_2019-02-16 13.05.35_0000.jpg

Virem algures no bairro a esquerda para chegarem ao palácio real e ao jardim exótico. Do lado direito do palácio têm mais uma plataforma para torarem fotos à cidade. Entre este observatório e o palácio vão encontrar um arco, passem-no para iniciarem a vossa descida à zona da marina.

No final da descida irá encontrar uma praça. Aqui existe um mercado com imensas opções para almoçar, caso já não o tenha feito. Continue de volta a marina e dirija-se a zona de Monte Carlo. Comece a subir e veja a ópera, o famoso casino e o jardim japonês. Finalmente terminei na famosa curva. Este é um óptimo spot para admirar as dezenas de Ferraris, Lamborghinis, Porches e outros super carros que habitam esta cidade. Por fim terminem a visita no jardim japonês, um oásis no meio da selva de betão!

NOTA: verifiquem se no Mónaco está coberto pelo vosso plano de internet. Eu não estava e nao reparei e a brincadeira ficou-me por quase 50 euros em internet. Mas não choremos sobre leite derramado!

Viagens

Atlas e Ouzoud Falls

Quando visitamos Marraquexe eu não tinha grandes requisitos. Sabia que queria visitar a cidade e mais nada. Mas felizmente viajamos com amigos e eles falaram que seria interessante visitar o deserto do Atlas aos qual alinhamos, claro!

Marcamos a visita diretamente com o Riad e bem cedo tivemos de saltar da cama. Como bonus o passeio inclui a visita as cataratas de Ouzoud.

O deserto do Atlas não e’ um deserto como os que estamos habituados a ver na televisao. Nada de areia branquinha, oasis, etc. Na verdade o deserto do Atlas e’ assim:

2016-05-29 12.25.45-2016-05-29 12.25.55_0000.jpg

Para chegar as cataratas de Ouzoud preparem-se para caminha. Muito… No calor! 🙂

No entanto pelo caminho irão ter várias oportunidades para parar e apreciar a paisagem.

2016-05-29 13.12.19-2016-05-29 13.12.27_0000.jpg

Quando chegarem as cataratas podem optar por apanhar um barquinho (com aspeto NADA seguro!!) para se chegarem mais perto. Loucos como somos claro que fomos

No final da visita podem almoçar num restaurante local uma bela Tangini (fantastica!!!) e visitar os macaquinhos que habitam a região.

Viagens

Como organizar a mala – exemplo pratico

Já não e’ um assunto novo mas e’ algo que me pedem mais exemplos mia práticos. Quando descobrem que viajo quase exclusivamente com mala de mão no ano inteiro e que me arrependo a maior parte das vezes que levo para de porao cria-se uma espécie de burburinho.

Antes de tudo aqui vai um resumo.

Já falei sobre que mala escolher (2 ou 4 rodas, rigida ou mole), como levar liquidos (parte 1 e parte 2), a politica de malas das companhias aereas (que convem sempre pesquisar porque alteram mais vezes do que pensam…), como viajar com mala de mao em 4 dias, dicas para viajar mais leve, esta na altura de mostrar um caso real. Esta mala foi feita para ir para a Salzuburgo em 2018. Embora so tenhamos passado uma noite na Austria esta mala foi pensada em duas noites porque dormimos na noite anterior em casa dos primos do J. A previsao de temperatura era de frio, vento e chuva, uma das piores que podemos ter para fazer malas, porque implica levar varias camadas de roupa grossa.

  1. Escolher o que se vai vestir e fotografar – nao faz sentido levar meio guarda roupa. Decida ja a partida o que vai vestir. E fotografe para nao se esquecer! Nao precisa de ser uma foto mega profissional, so o suficiente para nao se esquecer da combinacao
  2. Escolha a roupa interior e coloque numa bolsa – cueca, meia, meia calca, camisola interior, sotien, coloque TUDO numa bolsa so para ser mais facil encontrar. Se couber coloque tambem o pijama! Nao tem bolsas organizadoras? Nao se preocupe, utilize outra bolsa qualquer que tenha fecho. Em baixo vai um exemplo bom. Esta bolsa nao e’ de nenhum conjunto mega especial, veio com um corta vento salvo o erro e uso muito para arrumar roupa interior20181205_183519.jpg
  3. Coloque protecoes no calcado. Costuma esfregar as solas dos sapatos nas camisolas? Pois, nao e’ agora que o tem de começar a fazer. Eu guardo as toucas descartáveis que dão nos hotéis para proteger as solas dos sapatos em viagem. Nao tem? Nao ha desculpa, por cerca de 3 euros pode comprar 100!
  4. Comece a arrumar a mala. Do lado esquerdo (ou direito, e’ igual!!) coloque toda a roupa dobrada com o método Marie Kondo. Coloque peca a peca de forma a conseguir espremer a roupa para conseguir colocar tudo. Neste caso estão dois pares de calças de ganga, tres camisas, duas camisolas de la bem grossas e um pijama (calcas e camisola). Se fosse uma viagem para um sítio mais quente caberiam ainda mais pecas!20181205_183512
  5. Do outro lado da mala (lado direito no meu caso) comece por colocar a bolsa da roupa interior e os sapatos. Neste caso levo umas botas de cano alto que ocupam muito espaço. Depois coloque os extra, no meu caso cachecol, luvas, cinto, power bank, baterias extra para maquina fotografica.20181205_183519
  6. Do lado da rede coloque os medicamentos, os liquidos, escova de dentes, lencos. escova do cabelo20181205_183536.jpg
  7. Neste caso a mala de mao nao vai comigo por isso separei os objetos de valor (passaporte, dinheiro, cartoes, cabos, carregador, maquina fotografica) para uma mochila de costas que vai comigo no avião.

E pronto, a sua mala esta pronta!

20181205_183547

Em media nao demoro mais do que 20 minutos para fazer uma mala. Esta super interiorizado, e’ quase mecanico!

Viagens

Eslovénia – custos e impressões

Então cá vamos, mais uma viagem, mais uma voltinha! Visitamos a Eslovenia num fim de semana em Novembro. Quando vi a previsão do tempo umas semanas antes e percebi que estava a nevar pensei que iria ser um fim de semana sofrido. Mas este Outono estranhamente quente que invadiu a Europa trouxe de volta as temperaturas amenas e brindou-nos com um fim de semana ameno, com temperaturas a rondar os 10/15 graus. Nada mau nada mau!

E impressões da Eslovénia? Meu Deus, que canto do mundo ainda tão desconhecido do circuito turístico! Embora já tenhamos estado bem perto (creio que já visitámos todos os países com a qual a Eslovénia faz fronteira) nunca calhou aqui virmos. E aos poucos que nos disseram que o plano que tínhamos para o fim de semana era impossível de cumprir? Pois cumpriu-se e sobrou tempo! Sabiamos à partida que a capital não guardava nenhum segredo por isso concentramo-nos nas atrações fora da capital: o lago Bled, as caves Postjona e o castelo Predjama. Para Ljubljana deixamos a tarde de domingo e, tal como suspeitamos não perdemos nada.

Por fim, a comida… Quando fomos à Croácia ha uns aninhos atrás, ficamos com a impressão que não havia muita comida típica. Essa ideia ficou ainda mais reforçada com a visita à Eslovénia. Mas se por outro lado gostam de comida italiana estão no paraíso!!

Por fim, vamos lá aos custos:

Voo – £121.36/138.91€ para os dois

Parque em Gatwick – £18/€20.6

Hoteis – £108/123.62€ para duas noites para os dois + £6/€6.87 de taxas locais

Aluguer de carro para dois dias – £15.46/17.7€ para os dois dias + £8.74/10€ taxa de andar na autoestrada

Entrada no castelo e grutas – £66.75/76.4€ para os dois (inclui parque nas grutas)

Comida – £121.44/139€

Outras atrações – £4.19/4.8€

Combustível – £19.22/22€

Extras (compras no aldi e uma garrafa de gin no aeroporto) – £41.06/€47

Custo total: £530.22/606.89€

Custo total por pessoa: £265.11/303.45€

IMG_20181111_161048_968.jpg

Viagens

Premier Inn

Uma das coisas que mais me pedem e para a aconselhar cadeias de hotéis. No entanto isso para mim é quase impossível porque e raro eu ficar na mesma cadeia de hotéis. As exceções são provavelmente o Premier Inn e o Travelodge. Como recentemente fiquei no Premier Inn decidi começar por este. Este hotel, que tem como premissa “uma boa noite garantida” cai na categoria business up. Não é tão fraquinho como o Travelodge mas não é um Hilton ou o Holiday Inn. Não espere SPA, massagens ou piscinas num Travelodge. Aqui tem quartos e um restaurante/bar, onde são servidas refeições e bebidas durante o dia e onde é servido pequeno almoço. Mas em compensação tem-se conforto nos quartos, principalmente a cama deles que tem um colchão de sonho (que pode ser comprado aqui). Não há schampoo e amaciador de marca, mas sim com um gel que lava o corpo e o cabelo. Não há chinelos ou toucas, mas podem contar com um secador de tamanho real (odeio aqueles de parede) e espaço para arrumação.

O tamanho dos quartos é jeitoso (para padroes britanicos), e estão sempre em óptimo estado de conservação!

20181107_174223.jpg

O pequeno almoço é buffet e podem contar com pequeno almoço continental e ingles. Croissants, vários tipos de pães, sumos, fruta, café (do costa!) e chas convivem lado a lado com Yorkshire puddings, cogumelos salteados e bacon frito. O pequeno almoço custa cerca de £10. Mais informação pode ser encontrada aqui.

No que diz respeito a preços eles no site falam de terem quartos a partir de £19. Eu acho uma treta, pago sempre cerca de £100 mais £10 pelo pequeno almoço.

Em resumo, quando estou em viagens a trabalho é quase sempre a minha escolha. É confortável, bem localizado, tem tudo o que preciso para uma boa noite de sono.

 

Viagens

Bailado na Russia – Teatro Marrinsky

Ir a Russia e nao ir ver um bailado e’ como ir a Roma e nao ir ao vaticano. Embora seja preciso ter sorte (ou pesquisar antes de marcara viagem) nos conseguimos viajar quando o Teatro Marrinsky tinha em exibicao o cisne negro. Aviso desde ja, e’ das primeiras coisas que devem marcar, nos nao marcamos logo e quando fomos ver so havia bilhetes carissimos ou num lugar que nao era nada de especial. Os bilhetes podem ser comprados no site do teatro Mariinsky diretamente, onde podem escolher o que querem ver, o dia e qual os lugares. O teatro tem versao em ingles que funciona super bem. Pagam logo diretamente no site o bilhete e recebem no email os bilhetes que so precisam de imprimir para apresentar na entrada.

Vao com tempo porque o edificio em si e’ LINDO e merece uma visita!

20181004_1948102018-10-04 19.02.27_2018-10-04 19.02.35_0000

Viagens

Estações de metro

Tanto em Moscovo como em Sao Petesburgo e’ comum ouvir falar nas estacoes de metro. Em Moscovo sao varias as que merecem visita. Sao Petesburgo nao e’ tao conhecida mas algumas das estacoes na linha vermelha, a mais antiga, merecem visita. Todas estas estacoes foram construidas enquanto Lenin estava no poder.

Todas as estacoes sao diferentes entre si no estilo de decoracao pelo que sugiro que visite todas. Uma vez que nao vai sair do metro apenas pagara uma viagem (cerca de 50 centimos por pessoa). As estacoes que merecem uma visita sao:

– Avtovo

2018-10-06 17.41.52_2018-10-06 17.41.54_0000.jpg

– Kirovsky Zavod

20181006_173729

– Narvskaya

– Pushkinskaya

– Ploshchad Vosstaniya

20181006_171201.jpg

metromap2018_1700x2431.jpg
Estacoes de metro a visitar assinaladas com rectangulo verde
Viagens

Onde e o que comer na Russia?

Nao vou esconder, eu AMO stroganoff!!!!! E quando decidi(mos) ir a Russia comer Stroganoff estava na minha lista de coisas a fazer! E em quatro noites eu comi…. quatro vezes Stroganoff. Pois… Para verem o quanto gosto!
Antes de tudo um pouquinho de historia. O senhor Stroganov era uma pessoa que tinha um problema nos dentes da frente e, como tal, pediu aos empregados para criar um prato que fosse facil de ele comer… E assim nasce o Stroganoff!
No total visitamos 6 restaurantes, 2 mais tipo cantina (optimos para poupar dinheiro) e 4 mais normais, uns mais formais do que os outros. Em todos os restaurantes apresentamos o que comemos e os custos. Caso so encontrem um prato principal significa que comemos os dois o mesmo prato. Em alguns casos pedimos entradas e/ou sobremesas pelo que tenham em atencao que os custos refletem isto.

Stroganoff Steak House

Quando pesquisam sobre melhores sitios em Sao Petesburgo para comer Stroganoff o Stroganoff Steak House aparece em primeiro. E’ super “chique” e aconselho reserva, so conseguimos mesa porque fomos super cedo (por volta das 18h). Os acompanhamentos sao a parte e a refeicao fica carota, no entanto o Stroganoff era optimo!

Custo refeicao: 4350 rublos (£50.74/€57.69)

Clean Plates Society

Com uma vibe super nova a idade media das pessoas no restaurante era nos 20’s. Este restaurante foi recomendado pelo nosso guia e adoramos. O Stroganoff era optimo e vinha com pure incluido. Nao fizemos reserva mas nao houve problema em arranjar mesa, embora estivessem bem cheios.

Custo refeicao: 2340 rublos (£27.29/€31.03)

Teplo

Mais uma recomendacao do guia que foi optima. Nao fizemos reserva e tivemos de esperar um pouquinho pelo que sugiro que facam reserva. Era provavelmente o melhor de todos (esse ou o Clean Plates Society)

Custo refeicao: 2240 rublos (£26.13/€29.7)

Restaurant Idiot

Foi o piorzinho de todos. A comida nao era nada de especial, principalmente para o que pagamos.

Custo refeicao: 3530 rublos (£41.17/€46.81)

Столовая № 1

Este e o proximo eram mais tipo cantina e por pouco mais de 816 rublos (£9.5 ou €10.82) trouxemos toda a comida abaixo (e as duas bebidas). Era tudo optimo.

Custo refeicao: 816 rublos (£9.52/€10.82)

1.jpg

Marketplace

Tal como o anterior este restaurante e’ tipo cantina, no entanto este tinha um ambiente mais jovem. A comida era mais internacional mas sinceramente nao era nada de especial, recomendo muito mais o restaurante acima.

Custo refeicao: 1320 rublos (£15.4/€17.5)

Podem encontrar a localizacao de todos os restarantes no mapa abaixo

 

Viagens

The Tsarskoe Selo ou o Palacio Catarina

Esta foi uma super dica de uma amiga minha russa (obrigada Anna!). Embora todos os guias indicassem que deveriamos visitar o Peterhof a principal atracao deste local sao os jardins e as fontes, no entanto como visitamos em Outubro estas ja estavam desligadas. Assim a Anna disse para visitarmos antes o Tsarskoe Selo tambem conhecido por Palacio Catarina. Embora o centro da cidade de Sao Petersburgo nao tenha sido bombardeado na segunda guerra mundial este palacio foi reduzido a escombros e esta a pouco e pouco a ser recuperado. Do ponto de vista do turista nao vimos nada que precisasse de ser recuperado mas percebemos quemuitas salas continuam fechadas a ser recuperadas.

Primeira dica: nao tente ir de transportes publicos. Marque um transfer com o seu hotel ou uma visita guiada, chegar la e’ um pesadelo. Tivemos de apanhar um autocarro (pelo qual estivemos meia hora a espera), um comboio e outro autocarro.

Segunda dica: reserve um dia inteiro. O palacio fica nos arredores dos arredores (mais longe do que o aeroporto por exemplo) pelo que nao vai ter tempo para fazer mais nada neste dia.

O palacio de Catarina e’ um palacio Rococo construido no seculo XVIII. O palacio foi mandado construir por Catarina I como residencia de verao.

2018-10-07 13.34.58_2018-10-07 13.35.04_0001.jpg

Quando chegar vai perceber que e’um pouco confuso. Tem de pagar para entrar nos jardins, 150 rublos por pessoa. Nao ha como evitar, tem de pagar. Mas la dentro tera de enfrentar uma outra fila (gigante) para entrar no palacio, e tera de pagar mais 1000 rublos por pessoa. Nada barato mas vale tanto a pena!

Uma vez que o palacio fecha mais cedo do que o parque comece por aqui. Ate eu que ja visitei inumeros palacios e castelos pelo mundo todo fiquei deslumbrada. O salao principal, com a talha dourada, a sala ambar, a escadaria… Nao deixe tambem de perder tempo na exposicao fotografica no final da visita sobre os esforcos que o staff do palacio teve em tentar salvar o palacio e as suas obras dos bombardeamentos dos alemaes, assim como o estado em que o palacio ficou.