Viagens

Jordania – Comida

Cada vez mais tenho a sensacao que viajamos cada vez mais para comer. Pesquisamos restaurantes, comidas tipicas, contamos horas ate a proxima refeicao. E tiramos fotos, sempre!

Tanto eu como o J. somos nao so apaixonados por comida mas principalmente por comida do medio oriente. Humus e’ provavelmente das coisas que mais gosto, mas nao so!

Nesta viagem tivemos direito a peixe, carneiro (que apesar de eu nao gostar muito estava optimo!), carne de camelo e claro, muito humus!

E Petra fomos logo no primeiro dia a um restaurante recomendado pelo meu amigo A. propositadamente para comer carne de camelo. Nunca tinhamos experimentado mas gostamos muito!

2020-01-11 21.25.07~32020-01-11 21.25.02~22020-01-11 21.15.36~2

2020-01-11 21.15.21~2
Restarante Al-Wadi

 

No segundo dia em Petra fomos a um outro restaurante mesmo em frente ao Al-Wadi mas nao era tao bom. Mesmo assim aproveitamos para experimentar Mansaf, tradicionalmente com carne de carneiro e acompanhado por um molho de iogurte.

20200112_194353.jpg

Em Wadi Rum comemos sempre no acampamento e a comida era em formato buffet. Era tudo tao bom que o dificil era parar de comer!

Por fim no ultimo dia almocamos num restaurante a beira mar em Aqaba um peixinho grelhado optimo!

WhatsApp Image 2020-01-19 at 21.18.06

 

Viagens

Tenda Marciana – Wadi Rum

Quando decidimos ficar em Wadi Rum pesquisamos bastante antes de marcarmos o alojamento. Como queriamos ficar numa tenda marciana o valor nao era nada baixo pelo que quisemos ter a certeza de que estavamos a fazer uma boa escolha. E fizemos! A simpatia do staff, as instalacoes, a comida, foi tudo fantastico!

E entao qual foi o alojamento que escolhemos? O Hasanza Waideh Camp! Juro que nao estou a exagerar ao dizer que foi mesmo fantastico! Chegamos ao local antes de almoco e nao so nos deixaram fazer logo check in na nossa tenda como ainda nos ofereceram almoco e jantar!

20200113_121045.jpg

Ficamos na tenda numero 8, mesmo na frente do acampamento, com uma vista desafogada. De tenda na verdade isto tem muito pouco. Casa de banho com saneamento e agua quente, ar condicionado, tudo o que podem encontrar num hotel noutro sitio qualquer do mundo!

Para alem das tendas marcianas, que sao um pouquinho caritas, existem outras opcoes bem mais em conta como tendas beduinas de dois e tres quartos, familiares e suites.

Depois do jantar tipicamente beduino nao se esqueca de aproveitar todas a tenda adjacente a de jantar onde pode aproveitar cha quentinho numa tenda bem tipica!

20200113_181051.jpg

Viagens

Wadi Rum

Na verdade para alem de Petra e do Mar Morto, ha dois anos nao sabia muito mais o que seria a Jordania. Mas cada vez mais vejo videos do Youtube e um dia cruzei-me com este video de um dos canais que mais gosto: Kata and Nate. Assim, mal compramos os voos para a Jordania percebi que tinhamos de ir a Wadi Rum!

Como chegar a Wadi Rum? A melhor forma e’ ficar num dos inumeros acampamentos disponiveis na zona. Pode optar por ficar numa tenda beduina (mais tradicional) ou marciana, mas sobre isso escreverei num post a parte. O proprio alojamento ira ofercer-lhe varias hipoteses de jipe que pagara por horas (de 2 a 4 horas), e optamos pelo passeio mais longo de forma a vermos tudo sem pressas e podermos apreciar o por do sol no meio do deserto.

Wadi Rum e’ um deserto que e’ mais conhecido por ser palco de muitas filmes bem conhecidos: The Martian, Star Wars (Rogue One), The Last Days On Mars, etc.

As suas rochas vermelhas, o sol que nao para de brilhar e os areais extensos fazem deste sitio unico no mundo uma visita a nao perder. Tivemos a sorte de apanhar o guia mais simpatico do mundo que nos mostrou mais em quatro horas sobre a Jordania do que aprendemos nos restantes dias que estivemos no pais. Religiao, costumes, cultura, o nosso guia foi super paciente connosco e ate deixou o Joao guiar o jipe!

 

Viagens

Jordan Pass

Umas semanas antes de viajarmos descobri atraves de um video de Youtube o Jordan Pass.

Entao e em que consiste?

O Jordan pass nada e’ mais do que um pacote que inclui entradas em mais de 40 atracoes na Jordania, incluindo Petra, e inclui o custo do visto de entrada na Jordania caso fiquem por mais de tres noites.

Existem tres precos, consoante o numero de dias que queira visitar Petra: 70JD, caso queira visitar Petra um dia, 75JD se quiser visitar dois dias e 80JD se quiser visitar Petra tres dias. Estes dias terao de ser consecutivos.

As 40 atracoes incluidas podem ser encontradas aqui.

E como funciona?

Basta comprar o passe pretendido no site. Pouco depois ira receber o documento no seu email, que tera de imprimir e apresentar na fronteira e nas atracoes que queira usufruir.

Untitled

 

 

Viagens

Shaqilath Hotel em Petra

Quando decidimos ir a Jordania sabiamos que Petra estaria no topo das prioridades. Assim sendo percebemos que para explorar bem Petra teriamos de chegar bem cedo e que a melhor opcao seria mesmo dormir perto. Acabamos, por uma questao de logistica, ficar duas noites em Wadi Musa, a zona nesmo ao pe de Petra.

Se fizer uma pesquisa rapida no booking vai perceber que e’ possivel encontrar alojamento para todos os bolsos.

Capture

Nos acabamos por escolher o Shaqilath Hotel por dois motivos: preco e aspecto.

Nao estavamos a procura de algo luxuoso mas queriamos conforto acima de tudo. O Hotel Shaqilath fica a 2 minutos de carro do Visitor Center de Petra e o preco inclui parque gratuito e pequeno almoco. O unico senao que aponto e’ o facto de ser complicado gerir a temperatura da agua quando varios hospedes tentavam tomar banho ao mesmo tempo.

Caso pretenda e’ possivel almocar, jantar ou pedir para o hotel lhe preparar uma caixa com almoco. Embora nao o tenhamos feito e’ uma opcao que pode considerar uma vez que nao tivemos uma boa experienca com comida em Petra.

Imagens retiradas de booking.com

Viagens

Como ver Petra de cima?

Tive amigos que me contaram histórias pessimas e um dos esquemas mais comuns é de no local lhe tentarem vender que só se pode ver Petra de cima se pagar. É mentira, ou melhor é quase mentira. Existe uma trilha (tão ou mais dura do que a do mosteiro) que se chama Al-Khubtha Trail. Não é fácil se achar, não é fácil de fazer, mas vale a pena. Quem me recomendou foi o meu amigo A. que a fez duas semanas antes. As indicações para a trilha não são minhas, foram-me dadas pelo meu amigo e encontrei umas fotos bem ilustrativas neste site. Vai ser confuso, vai sentir que se perdeu mas connosco deu certo.

1) esta trilha começa junto as tendas que existe junto aos túmulos reais. Se estiver virado de frente para os túmulos vire a sua esquerda. Vai passar por várias tendas, se sentir que não está a ir na direção certa pergunte, eles ajudam. Vai ver de vez em quando umas placas como esta que vão ajudar. De vez em quando durante o caminho também vai encontrar umas tendas beduínas a vender várias coisas o que significa que está no caminho certo!

Capture

2) Siga os sinais que indicam “Al-Khubtha trail”. Ira ver uma curva para a direita (para tras das tumbas) e ira comecar a muitas escadas, significa que esta no caminho certo! Tambem comecara a ver aqui e acolá uns sinais brancos a dizer “Come and enjoy the spectacular view”.

3) Vai subir muitas escadas. Muitas mesmo, provavelmente uns 20 minutos de escadas. Vai chegar a uma zona em que consegue, do seu lado direito, ver o teatro. Significa que esta no caminho certo, pode continuar!

20200112095326_IMG_9850

4) Logo depois de passar a vista para o teatro vai encontrar uma estrutura que parece uma casa. Aqui tem de descer as escadas que estao exatamente do lado esquerdo

Capture
esta foto foi-me enviada pelo meu amigo A. nao sei a origem, peco desculpa!

5) A seguir a descer estas escadas vire a direita e prometo, ja falta pouco! Existem varias marcas no chao (setas pintadas) mas a partir deste ponto nao ha nada que enganar, e’ sempre em frente. Nos so reparamos nas setas no regresso e não tivemos problemas em encontrar o sitio.

Quando chegamos lá a cima ainda estivemos provavelmente quase 10 minutos completamente sozinhos e depois só chegaram 3 pessoas… Super calmo!

Porque é que não é gratuito completamente? Porque no ponto que tem a melhor vista está uma tenda. Se quiser de facto ver a vista vai ter de beber qualquer coisa. Para ser sincera os preços não são por ali além e podem ficar o tempo que quiserem. Para terem ideia um chá custa 1jd e um sumo natural 3jd, igualzinho ao que pagamos em todo o lado na Jordânia.

Jamais durante esta trilha fui abordada para pagar ou me foi oferecido um burro para ajudar com a caminhada. Também não vimos muita gente quando a fizemos (10 pessoas se tanto!)

Viagens

Petra

É tão difícil começar um post para falar de Petra. Uma das 7 maravilhas do mundo, haverá alguém que não saiba o que é Petra? Por isso mais do que me alongar a explicar o que é Petra quero dar dicas sobre como explorar a zona.

Primeiro que tudo, Petra não é apenas uma fachada escavada na pedra. Na verdade essa imagem conhecida do mundo chama-se o tesouro. Na verdade Petra é uma zona de 266 km quadrados com imensas trilhas por fazer. Há quem diga que são necessários 4 a 5 dias para conhecer a zona, nós fomos um dia mas na verdade dois dias é o ideal. A verdade é que num dia nós tivemos tempo para ver tudo o que queríamos mas puxamos pelas pernas como há muitos anos não o fazíamos e ficamos estourados. Dois dias depois ainda me doiam as articulações dos pés e os gémeos…

Vamos então começar com as dicas:

– Bilhete

Se vão passar mais do que 3 noites na Jordânia aconselho que comprem o Jordan Pass. Nós compramos o passe com um dia em Petra mas podem comprar com mais dias. Não me vou alongar sobre o Jordan Pass porque vou escrever um post só sobre este tema.

No entanto é possível comprar só bilhete para Petra. Se decidirem passar só um dia na Jordânia e incluir um dia em Petra então o custo para entrar em Petra vai ser exorbitante, 90JD. Se decidirem pernoitar na Jordânia (não necessariamente ao pé de Petra) então o custo será de 50 para um dia, 55 para dois dias, 60 para três dias. Há também um pequeno problema caso visitem Petra no dia em que chegam à Jordânia, podem encontrar informações aqui.

O Jordan Pass é possível comprar online, depois só têm de passar na bilheteira para vos emitirem um bilhete a preço zero.

Os bilhetes apenas para Petra apenas podem ser comprados no local.

– Dormir

Eu aconselho que durmam pelo menos na noite anterior em Petra. O parque abre as 5 da manhã e quanto mais cedo for melhor, para ver pelo menos o Tesouro antes de chegarem os autocarros cheios de turistas. Nós chegamos as 7:30 e encontramos Petra bem vazia, deu para tirarmos as fotos que quisemos. Nós ficamos no hotel Shaquilath na noite anterior e no dia que visitamos Petra. Existem várias hipóteses nesta zona de acordo com o bolso de cada pessoa.

– Carro

Pode levar o carro até a entrada, o parque é gratuito

– Comida

Foi provavelmente o que mais no desiludiu. O nosso hotel recomendou dois restaurantes. Um não conseguimos encontrar e o outro achamos demasiado caro. O que sugiro é que leve uma lunch box do hotel (creio que todos oferecem) ou comprem comida e levem. Nós tínhamos comido um óptimo pequeno almoço e decidimos que íamos comer lá. Decidimos que não íamos pagar o valor que nos estavam a pedir (mais de £20 por pessoa mais bebidas) e comemos as bolachas que tínhamos trazido. Como não temos filhos e estávamos tão cansados não tivemos fome mas admito que foi um erro parvo. Há sítios que vendem sandes mas tivemos receio porque temos intestinos MUITO sensíveis

Não se esqueça de levar água!

– Petra by Night

As segundas, quartas e sextas existe um espetáculo a luz das velas no Tesouro, que é pago a parte. Nós não estivemos em Petra nestes dias por isso não podemos comentar se vale a pena ou não.

– O que levar?

O mais importante é calçado confortável. Não leve umas all star ou algo assim. Leve umas sapatilhas ou botas de caminhada. Algo que já tenha usado várias vezes para não fazer bolhas. Em termos de roupa depende da altura do ano. Se for no inverno vista-se por camadas. Nós fomos no inverno e levamos uma camisola térmica, uma camisola mais grossa, um colete, um casaco, um casaco, luvas e cachecol. Os últimos três só foram fazer peso. Os outros foram entrando e saindo a medida que o calor apertava. Numa das trilhas que fizemos tínhamos tanto calor que escondemos os casacos e camisolas a meio do caminho e fomos lá buscá-las no final. Se for no verão um chapéu para a cabeça é imprescindível!

Leve uma mochila. Para carregar a roupa, água, comida. Não encha de coisas por favor, vai andar o dia todo com ela as costas

– O que ver?

Os pontos principais de Petra são o tesouro (a tal imagem que toda a gente conhece) e o mosteiro. O tesouro fica perto da entrada e é a primeira coisa que vê quando termina o Sik, um canion lindíssimo! O mosteiro fica na ponta oposta do espaço e implica que faça uma caminhada duríssima de uma hora e pouco (para cada lado) mas vale a pena.

Tem também outros pontos interessantes como o teatro, as tumbas reais e o Sik, que ficam muito perto umas das outras

– Quanto tempo é preciso?

Os locais vão dizer que para ver tudo são necessários 4 ou 5 dias. Na minha humilde opinião achei que passado um bocado fica muito repetitivo. Se tiver boa resistência um dia é suficiente, no entanto vai ficar estourado. Para nós foi suficiente, só nos faltou uma igreja que queríamos ver porque eu achei que já não aguentava caminhar mais, mas é duro. Na verdade entramos no parque as 7:30 e saímos às 15:30 (fecha as 16:30 no inverno) mas passamos 7 horas a caminhar trilhas duras… Sugiro dois dias, assim vê com calma e pode repartir o esforço

– Como aliviar a caminhada?

Existem duas formas de aliviar a caminhada:

1) existe uma entrada alternativa que fica a uma hora do mosteiro mas cuja caminhada é mais fácil. Pode organizar com o seu hotel e pedir para ser deixado neste ponto e caminhar de volta até ao início de Petra, assim só tem de fazer uma parte da caminhada que é bem mais fácil (o regresso do mosteiro e muito mais fácil do que a ida)

2) pagar para um burro. Nós não gostamos de fazer atividades que explorem animais para atividades turísticas e como tal não equacionando esta opção mas pode pagar para um burro o levar até ao mosteiro ou outras partes do caminho.

– Com o que é que tem de ter cuidado?

Com esquemas acima de tudo… Não se deixe convencer que pode apanhar um cavalo gratuito até ao tesouro. Embora em vários sítios diga que é gratuito já ouvi histórias que no final eles pedem dinheiro. Não deixe que lhe coloquem um lenço típico na cabeça, vai ter de pagar por ele. Acima de tudo faça a sua vidinha!

– O que é que é imprescindível ver?

Não sou ninguém para dizer o que é mais importante mas o que mais gostei por ordem de preferência foi o tesouro, o sik, o mosteiro e as tumbas reais. O meu momento preferido foi ver o tesouro por cima, super calmo a saborear um sumo natural. Sem pressas, sem empurrões, sem dramas!

– Petra by night, vale a  pena?

Sinceramente a minha resposta é, não faço ideia. Nas noites em que íamos estar em Petra não havia o espetáculo pelo que não faço ideia. Podem encontrar informações sobre este espectáculo aqui. Atenção que existe um custo extra por assistir a este espectáculo, não está incluído no preço do bilhete normal.

Viagens

Jordânia – impressões e custos

Creio que não exista ninguém no mundo ocidental que se interesse um pouco por história, viagens ou mesmo vida social que nunca tenha ouvido falar da Jordânia. Seja por Petra ou pela rainha Rania haverá certamente um período da sua vida que irão cruzar-se com este país. Situado bem no meio do meio oriente, com fronteira com alguns países bem complicados como Israel, Síria, o Iraque e a Arábia Saudita, a Jordânia tem passado um pouco ao lado dos conflitos desta zona. Talvez o facto de na verdade a Jordânia não ter nenhum ponto de interesse como terra fértil ou poços de petróleo, este país tem ficado a margem destes problemas. Obviamente que é uma paz relativa. Basta andar nas estradas e vão passar por operações stop ou exército bastante armado, mas é pacífico viajar pelo país.

No início do ano nós tentamos sempre fazer uma viagem para descontrair. O último trimestre do ano é sempre complicado para mim em termos de trabalho, não viajamos muito e não queremos entrar naquela depressão de janeiro e acabamos por tentar sempre ir a algum lado. Como tive uma péssima experiência em Israel (fui em agosto e não sei como não derreti) sabia que queria evitar a todo o custo ir no verão. Isso aliado a um voo bem em conta para Aqaba fez com que não deixássemos escapar a oportunidade.

Eu amo o médio oriente. Esta é já a minha quarta visita (depois de Israel, Palestina, Dubai, Turquia) e nunca me canso! Ainda temos muitos países por explorar na zona e só temos pena de ser uma zona tão complicada.

A música, a comida, a geografia, o fervor religioso e o fascínio sobre novas culturas, as pessoas fazem com que adore esta parte do mundo.

Mas nem tudo são rosas na Jordania. Há pobreza em todo o lado. Não pobreza de fome (pelo que vimos) mas pobreza de condições de habitação, crianças descalças, crianças que não sabem o que é um saco de congelação (daqueles reutilizáveis), a pedir-nos canetas para a escola. Animais mantidos em condições questionáveis. Igualdade de sexo é uma miragem por onde vimos, não vimos uma única mulher a trabalhar para além do aeroporto.

As pessoas são, sem dúvida quem mais nos marcam pelos sítios onde passamos. Desta vez foi o nosso guia do passeio de jipe em Wadi Rum. A meio da viagem deixou o J. guiar (ele ama conduzir!!) e estivemos a conversa! Que maravilha! Aprendi mais sobre a Jordânia naqueles 20 minutos do que na viagem toda!

Se vale a pena? Sem dúvida, ainda nem tínhamos saído e já estávamos a dizer que íamos voltar.

Uma última nota. Vale a pena alugar carro. Se não quiserem ficar a mercê dos guias turísticos aluguem carro. Não é o sítio mãos barato mas vale a pena.

Vamos então aos custos:

Voo: £200 com a easyJet para os dois (comprado em julho, 6 meses antes)

Hotel em Petra: £96 para duas noites para os dois. Incluiu pequeno almoço.

Hotel em Wadi Rum: £147 para uma noite para os dois com almoço, jantar e pequeno almoço. Há bem mais barato mas decidimos ficar numa tenda mais diferente e isso paga-se bem. Se puderem paguem, se não der não deixem de ir e fiquem numa mais simples.

Carro: £94 para os 4 dias

Jordan Pass: £76 cada um. Haverá um post em breve a explicar o que é o Jordan Pass. POR LINK

Comida/Bebidas: £88.39

Tour jipe Wadi Rum: £70 para os dois. Também irei escrever um post sobre isto.

Souvenirs: £7.6 (íman para família, enfeite da árvore de Natal e chá)

Combustível: £22.77

Outros: £3.25

Total: £881.02 para os dois – £440.51 por pessoa – £110.13 por pessoa e por dia