Viagens

Bolonha

Guardamos Bolonha para domingo. Na verdade o plano era levantar cedo e visitar Bolonha de manhã e algo mais a tarde mas o cansaço venceu e levantamo-nos mais tarde…

Percebemos pelas pesquisas que Bolonha não era assim tão bonita, nem tinha muito para ver. No entanto nao queríamos deixar de visitar.

Comecamos pela Plazza Maggiori. E’ aqui que se concentra a maior parte das atrações, pelo que recomendo que fique bastante tempo a apreciar os edificios, estátuas e pessoas.

E’ nesta praça que vai encontrar a Basílica de São Petrônio, o Palazzo d’Accursio e a Fonte de Neptuno.

 

(ADICIONAR FOTO DA FONTE)

Por fim visite a prova que os italianos são grandes arquitetos mas nao sao grandes engenheiros! Até visitar Bolonha pensava que Pisa tinha a unica torre inclinada mas estava enganada. A torre degli asinelli, embora não tenha o mesmo esplendor da torre de Pisa dá-nos a mesma sensação de que vai cair a qualquer momento.

20190310_131029.jpg

Acabamos o dia a almoçar na Osteria dell’Orsa. Esta dica foi de uma blogger que sigo ha muitos anos que por sua vez recebeu de uma guia local. A primeira coisa que me vem a memória quando falam em Bolonha e’ sem dúvida esparguete a bolonhesa. Eu amo massas e esparguete a bolonhesa ainda mais! Como tal, mal soubemos deste espaco ficou logo decidido que era ali que iamos almocar. Fica um bocado longe da zona turística (OPTIMO!) e preparem-se para esperar pelo menos uma hora se forem ao fim de semana a hora de almoco. Mas valeu MUITO a pena! Eu comi um esparguete a bolonhesa (que se  chama Tagliatelle al ragu por aqui) e o J uma lasanha. Para sobremesa eu dispensei mas o J. babou-se por um salame (sobremesa preferida dele). Se não se importarem de esperar e’ sem duvida um sítio que recomendo!

 

 

 

 

 

 

Viagens

São Marino e Bolonha – impressões e custos

Em março aproveitamos um fim de semana para rumar a sul, a aproveitar o sol de inverno e conhecer mais um micro país, São Marino.

São Marino e’ a república mais antiga do mundo fundada por volta do ano 300 depois de Cristo. Situada a cerca de uma hora de Bolonha e rodeada pela Itália este país é conhecido pela fórmula 1 e por ser um paraíso de compras com tax free.

Como o país em si não tem muita coisa para visitar (embora tenha sido o nosso micro-país preferido se retirarmos o Vaticano da lista) e ficar na cidade de São Marino era bastante acima do que queriamos pagar aproveitamos para ficar em Rimini que usamos como base para o resto da viagem. Rimini e’ uma estância balnear frequentada principalmente por italianos. Como estávamos em época baixa (Marco), apanhamos uma mega promoção e pagamos apenas £32 por um hotel optimo, numa suite fantástico com dois quartos e varanda e um dos melhores pequenos almoços que experimentamos nos últimos tempos. Só temos pena de não ter lá ficado na primeira noite, tivemos de ficar num hotel perto do aeroporto porque chegamos demasiado tarde para conseguirmos alugar carro.

No domingo acordamos bem tarde e seguimos para Bolonha, que nao deixou saudades… Falarei mais desta cidade num próximo post.

Aqui vai o resumo dos custos:

Voo: £114/€133,23 para os dois pela Ryanair. Compramos uma mala de mao que dividimos (ja incluido neste custo)

Hotel primeira noite: £78.67/€91.94

Hotel segunda noite: £32/€37.40

Aluguer de carro: £23.35/€27.29

Custos la: £244.08/€285.25

Total: £492.1/€575.10

Total por pessoa: £246.05/€287.55

Total por pessoa por dia: £82.02/€95.85

Uncategorized

Cinque Terre

Monterosso, Vernazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore! Sao estes os nomes que juntos formam Cinque Terre, o destino que se tornou muito popular nos ultimos anos. Varias historias foram inventadas nos ultimos anos mas Cinque Terre continua aberto a todos os turistas que pretendam visitar. Na verdade existem planos para limitar a entrada de turistas nos percursos a pe pagos mas nao so isto nao esta em vigor como isto sera implementado eventualmente nos trilhos pagos, o que nao impede ninguem de visitar as vilas.

doveSono_5terre-en.png

Esta foi mais uma viagem que tivemos o prazer de partilhar com amigos, mais concretamente com a I e com o G

Existem tres formas de visitar estas vilas:

  • A pe – existem trilhas entre as 5 vilas que sao gratuitas fora da primavera/verao. Como fomos em Marco nao pagamos mas tambem so 2 dos 4 percursos estavam abertos. Convem verificar isto antes de ir
  • De comboio – existem comboios que ligam as 5 vilas, mas vao perder as vistas fantasticas das montanhas
  • Visita guiada – de barco ou de carrinha, para todos os gostos. Aqui vao alguns exemplos para diferentes bolsos

A melhor forma de chegar a Cinque Terre e’ apanhar um voo para Milao e dai um comboio ate Monterosso ou Riomaggiore (dependendo de onde quer comecar). De Milao ate Monterosso sao cerca de 3 horas de comboio.

1.png

Se for fazer o percurso a pe sugiro que fique duas noites na zona para puder recuperar. Se for fazer de comboio muito corrido consegue num dia. No nosso caso que fizemos parte do percurso a pe e o outro de comboio ficamos duas noites e dois dias. Foi suficiente para aproveitarmos bem!

Existe um problema em Cinque Terre que espero que seja solucionado em breve. Nao existem cacifos publicos onde se possam deixar as malar. E em terras como Corniglia em que vai subir CENTENAS de degraus da estacao ate a vila nao vai agradecer ter de carregar as suas malas. Se ficar na zona sugiro que deixe as malas no hotel e as recolha ao final do dia, mesmo que isso implique que ande para tras e para a frente de comboio.

Quanto ao que ver sou sincera, as terras sao pequenas, a atracao turistica e’ a propria vila e a forma como foram construidas no meio das montanhas. Por isso mesmo estamos perante mais um caso de ande, veja, aproveite 🙂

Monterosso

Vernazza

 

Corniglia

 

Manarola

 

 

 

Viagens

Florença

Florença é daqueles sítios que tenho a sensação que por mais tempo que lá passe vai sempre haver alguém que diga “mas não foste ao sítio X? É imperdível!” Por isso, quando tiverem de escolher onde vão e onde não vão poder ir, tenham em atenção que não vai dar para tudo. Nós seguimos a filosofia do menos e’ mais. Não faz sentido (para nós claro) visitar 20 igrejas, a nossa memória não vai conseguir memorizar tanta coisa e passado umas cinco ou seis são todas iguais. Assim, preferimos focar-nos em menos pontos mas dedicar mais tempo ao que decidimos visitar.

Assim, em Florença, onde apenas passamos dois dias (claramente insuficiente mas foi o que deu!) decidimos visitar:

Basílica de Santa Cruz

Duomo, Cupula, Batisterio e Campanille de Giotto, Crypta e Museu

 

Capela dos Medicies / Basilica de São Lourenco

Basilica della Santissima Annunziata

4.jpg

Galleria degli Ufizzi

 

Palacio Pitti

9.jpg

Officina Profumo Farmaceutica di Santa Maria Novella