Viagens

Londres – Tour “Mulheres incríveis e seus legados”

Quando moramos algum tempo num sítio temos tendência a descurar descobrir novos espaços, novos museus, novos restaurantes. E embora eu não moro Londres acabei por nos últimos anos evitar ir la. Porque gosto da minha paz do campo, porque é confuso, porque tenho tendência a explorar novos países. Mas este tour foi excepção.

Há vários anos que sigo a Heloísa Righetto. O seu trabalho na área do feminismo é notável e tenho aprendido imenso nesta jornada do feminismo com ela e com o conexão feminista. Já há dois anos que a Heloísa faz este tour em Londres. Mas por um motivo ou por outro ainda não tinha conseguido fazer este tour. Mas finalmente depois deste tempo todo finalmente consegui uma data que coubesse com a minha agenda.

Não vou ser spoiler porque acho que estragaria completamente a surpresa mas este tour acontece a sexta feira a noite e durante duas horas e meia (a três) preparem-se para percorrer praças e ruas mais ou menos conhecidas e conhecer mulheres mais ou menos conhecidas da história. Políticas, enfermeiras, amantes, entre outras, todas estas mulheres têm em comum terem marcado a história. 

Este tour não tem tem datas específicas e têm de estar de olho no Facebook da conexão feminista ou no Instagram da Heloísa para as novas datas.

Ah, antes que me esqueça, a Heloísa vai também fazer um tour sobre a Jane Austen em Julho, ainda não está esgotado por isso aproveitem!

20190322_192020.jpg

Links importantes:

Facebook da Conexão Feminista

Instagram da Heloísa Righetto

 

Viagens

Cannes

No post introdutório sobre esta viagem falei que se voltasse alugaria carro. E a principal razão pela qual me arrependo de não o ter feito foi Cannes. Tínhamos programado visitar a cidade do festival de cinema no domingo, no entanto enquanto estava a fazer as pesquisas finais sobre esta viagem no sábado li um artigo a dizer que não havia muito a fazer em Cannes. E depois outro artigo dizia o mesmo. E outro…. E começamos a ver alternativas mas os comboios nesta zona, embora sejam confiáveis não eram frequentes, pelo que não dava para mudar os planos. Resultado? Dormimos a manhã toda, que nos soube pela vida, e fomos a Cannes só da parte da tarde. E então o que há a ver em Cannes?

Boulevard de la Croisette – tal como a promenade dos ingleses a marginal de Cannes merece uma caminhada. Aqui vão encontrar vários restaurantes na praia onde poderão almoçar com o pé na areia.

2019-02-17 14.09.55_2019-02-17 14.09.58_0000.jpg

Palácio dos festivais e congressos de Cannes – embora não possa entrar pare na famosa escadaria onde VIPs de todo o mundo sobem

Marina de Cannes – para ver os “barquinhos” e sonhar!

Le Suqet – prepare-se para subir ao ponto mais alto da cidade onde pode encontrar museus e igrejas super giras. E como bônus pode tirar as melhores fotos panorâmicas sobre a cidade

E pronto, está Cannes visto. Lamento se vos desapontei, mas tal como disse no início do post Cannes não tem nenhum interesse especial.

 

 

 

Viagens

Mónaco

Peço desculpa pela interrupção nos posts sobre a viagem a Cote d’Azur mas faltavam umas fotos. Este post e o próximo encerrarão a viagem.

Oobjetivo deste fim de semana prolongado era visitar o Mónaco, país 47 (mas quem é que está a contar? 🤣). Todos nós ja ouvimos falar do Mónaco por vários motivos. Seja pela família real, pela fórmula 1, o circo monte carlo ou pelas festas nos iates, o Monaco representa luxo, festas, riqueza. E como esperávamos o Mónaco é caro. Sabia disso há muito e quando tentei marcar hotel reforçou que esta ideia (uma das razões pelas quais ficamos em Nice).

Para chegar ao Monaco através de Nice tem duas opções: comboio (que demora cerca de 30 minutos) ou autocarro número 100 que parte do porto de Nice e demora cerca de uma hora e meia. Existem vantagens e desvantagens em utilizar cada um destes transportes. O comboio custa cerca de 4 euros, é mais rápido, passa a cada meia hora e tinha lugares vazios. O autocarro custou 1.5 euros, passa a cada 15 ou 20 minutos, tem uma vista panorâmica sobre a cote d’azur, MAS estava tão cheio que estivemos uma hora e meia em pé. Apesar de termos tido sorte porque conseguimos um espaço a janela (não se esqueçam de ficar do lado do mar) se não fosse assim não tinha válido de todo a pena. Uma hora e meia em pé depois de vários kms nas pernas para ver a vista não vale mesmo a pena…. E o autocarro acaba num sítio em Nice que ficava a mais de 20 minutos a pé do nosso hotel. Veredito? Comboio é melhor.

E então o que fazer no Monaco? Na verdade não contem com dias e dias de coisas para fazer. Mesmo entrando em museus e no casino (que não fizemos) um dia vai dar mais do que tempo para verem este país.

Comecem então pelo porto do Mónaco. Virados para o mar comecem a caminhar para vossa direita à volta da marina. Tirem várias fotos, vejam os iates. Quando chegarem mesmo ao final comecem a subir para o forte Antoine para verem as vistas. Parem várias vezes nas plataformas para tirarem fotos panorâmicas da zona da marina.

Quando chegarem ao topo continuem em frente, passem o museu oceanográfico (entrem se quiserem) e passem pela catedral de São Nicolau. Entrem no bairro a esquerda da catedral onde podem aproveitar para almoçar se for hora disso.

2019-02-16 13.05.32_2019-02-16 13.05.35_0000.jpg

Virem algures no bairro a esquerda para chegarem ao palácio real e ao jardim exótico. Do lado direito do palácio têm mais uma plataforma para torarem fotos à cidade. Entre este observatório e o palácio vão encontrar um arco, passem-no para iniciarem a vossa descida à zona da marina.

No final da descida irá encontrar uma praça. Aqui existe um mercado com imensas opções para almoçar, caso já não o tenha feito. Continue de volta a marina e dirija-se a zona de Monte Carlo. Comece a subir e veja a ópera, o famoso casino e o jardim japonês. Finalmente terminei na famosa curva. Este é um óptimo spot para admirar as dezenas de Ferraris, Lamborghinis, Porches e outros super carros que habitam esta cidade. Por fim terminem a visita no jardim japonês, um oásis no meio da selva de betão!

NOTA: verifiquem se no Mónaco está coberto pelo vosso plano de internet. Eu não estava e nao reparei e a brincadeira ficou-me por quase 50 euros em internet. Mas não choremos sobre leite derramado!

Viagens

Carnaval de Nice

Todos nós conhecemos o carnaval do Rio, de Veneza e talvez o da Mealhada. Mas quantos de nós conhecem o de Nice? Eu pelo menos não conhecia…

Quando fizemos check-in no nosso hotel e o senhor nos perguntou se estávamos lá por causa do carnaval ficamos em silêncio. Pois, ao que parece o carnaval de Nice, que existe desde 1873 super famoso. Tivemos uma sorte enorme porque calhou estarmos lá no primeiro fim de semana de festividades. O corso carnavalesco acontece na zonazdo jardim Alberto primeiro e no fim de semana em que lá estivemos tínhamos hipótese de ver a batalha das flores e o corso iluminado. Como o primeiro acontecia durante o dia e estávamos no Mónaco optamos por só ir ao corso iluminado.

 

Primeira dica: comprem bilhete com antecedência.
Segunda dica: comprem zona A ou tribuna.
Nós chegamos em cima da hora e a fila para a zona A estava péssima e as tribunas esgotadas pelo que tivemos de ir para a zona B. E eu, uma hater confessa de carnaval (muitos traumas com disfarces na escola primária e ser de uma zona onde o carnaval é um nadinha brega) achei que ia ser só um visto na caixa. Mas não, a verdade é que durante duas horas acenei, dancei, eu sem parar o corso do carnaval. Carros e mais carros alegóricos, grupos étnicos (russos, bolivianos, chineses, sei lá mais…), bonecos insufláveis (não desses seus marotos!!). O ambiente é super familiar e não vi pessoas que deviam ter parado umas bebidas mais cedo. Amei!!
Terceira dica: cheguem cedo
Quarta e última dica: se forem para a zona B entrem pelas entradas junto ao mar, são as mãos calmas.

Mais informações sobre o carnaval de Nice.

Viagens

Hotel Paganini – Nice

Por vezes falo dos hotéis onde ficamos, por vezes não. Existe uma razão muito simples: os que não falo é porque não me despertaram nenhuma vontade de falar sobre eles. Não porque tenham sido maus mas porque simplesmente não tiveram nada que fizesse com que valesse a pena. E não, não falo só de hotéis caros, aliás, muito muito raramente nos ficamos em hotéis caros. O orçamento não estica e normalmente é aí que cortamos.

Então e o Hotel Paganini em Nice foi fixe?? Mehhhhhh. Não foi mau mas…..
Primeiro que tudo: localização. Como íamos usar Nice como base queríamos um hotel perto da estação. E este era perfeito, a dois minutos da estação, mas mesmo assim no meio de Nice, com imensos restaurantes à volta
Depois o preço agradável, pois só custou 99 euros por duas noites para os dois sem pequeno almoço.
Finalmente as instalações. O hotel claramente foi renovado há pouco tempo e tinha super bom aspecto. Um três estrelas bem porreirinho é o que vos posso dizer.
E então se era tão bom porque é que não recomendo sem hesitação? Por causa do barulho!! Na primeira noite ouvi os vizinhos do quarto ao lado conversarem (não estavam a falar alto…). E passei a noite inteira a ouvir a canalização. Cada vez que alguém despejava o autoclismo eu acordava… Pois… Melhorou um pouco quando fechei a porta da casa de banho (bruxa!!!) mas não resolveu. E antes que perguntem, sim, eu pedi para mudar de quarto mas estavam cheios. E sim, vou reclamar com o hotel…
Por isso sim, recomendo o hotel mas claramente não o meu quarto (número 15, só para que saibam…).
20190215_111739.jpg
Viagens

Nice, Mónaco e Cannes – impressões e custos

Viajamos para o Mónaco, Nice e Cannes a meio de fevereiro. Não sei se tivemos sorte mas o tempo estava fantástico!! 15 graus, um sol fantástico, o J. até andou de t-shirt um dia embora os locais andassem de casacos (viver no reino unido tem as suas consequências…)! As cidades não estavam muito cheias, os restaurantes não precisavam de reservas e ainda acertamos com o início das comemorações do carnaval de Nice (escreverei sobre isso num post a parte).

O objetivo da viagem seria visitar o Mónaco. Mas por um lado percebemos muito rapidamente que era caríssimo e por outro que um dia bastava, pelo que optamos por ficar em Nice e usar esta cidade como base para explorar a região.
Vamos então aos custos:
Voo – British Airways de Heathrow (minha companhia aérea e aeroportos preferidos): £170/195€ para os dois
Hotel Paganini (Irá haver post sobre ele): £87/99€ por duas noites sem pequeno almoço para os dois
Custos no local: £228/260€ para três dias incluindo TUDO (comida, transportes, bilhetes para entrar em coisas)
Total: £485/554€
Total por pessoa: £242.5/277€
Total por dia e por pessoa: £80.83/92.33€
Algumas dicas:
– Se voltasse provavelmente alugaria um carro. Ficamos muito dependentes do comboio que não era assim tão frequente e nos limitou onde pudemos ir.
– cuidado, repito CUIDADO com a internet no Mónaco. O Mónaco não faz parte da lista de países com quem tenho o meu contrato de telemóvel e como não reparei. O descuido ficou em quase 50 euros (ouch!!!!).
20190216_123508.jpg
Uncategorized

Viajar nos países bálticos – Letónia e Lituânia

Viajamos para os países bálticos em 2016. Primeiro fizemos em maio a Letónia (Riga) e depois a Lituânia (Vilnius). Tanto estas duas capitais como Tallin na Estónia (que fizemos em agosto do mesmo ano) precisam apenas de um dia para ver o essencial na parte histórica.

No caso da Letónia e da Lituânia aproveitamos um dos feriados de Maio e em três dias visitamos estes dois países. Claro que ninguém consegue conhecer profundamente um país em tão pouco tempo mas tendo em conta que queríamos apenas conhecer as capitais foi mais do que suficiente.

Voamos de Stansted para Riga no sábado de manhã (a um horário proibitivo – 6:30!!) mas por causa da diferença horária e do voo longo (para padrões europeus) perdemos a manhã toda. Passamos a tarde de sábado e a manhã de domingo a visitar uma ensolarada Riga que adorámos! Aproveitamos para fazer um tour gratuito que foi dos melhores que já fizemos no mundo!

No domingo de tarde apanhamos um autocarro (Lux express – 10€ por pessoa) para Vilnius que nos deixou mesmo no centro da cidade! Os bilhetes podem ser marcados com antecedencia no site. Depois basta apenas imprimir o bilhete, trazer consigo e mostrar ao motorista.

Os autocarros sao super confortaveis e ate incluem Wifi gratuito e entretenimento a bordo. Como estes dois paises pertencem a Uniao Europeia nao existem sequer barreiras ou paragens na fronteira pelo que a nao ser que esteja atento nem sequer ira reparar quando passou de um pais para o outro.

lux-exp-1024x660.jpg

Esta empresa nao faz apenas os paises balticos, cobre imensos destinos em paises fronteiricos, como a Russia, Finlandia e Polonia por exemplo.

Na segunda passamos o dia a visitar Vilnius (que adorámos tanto ou mais do que Riga) e no final do dia voamos de volta para Londres.

lux_express_special.jpg
Fotografia retirada daqui.
Viagens

Mozart e Salzburgo

Quando se começa a ter algum interesse sobre visitar a Áustria, e principalmente Salzburgo o nome Wolfgang Amadeus Mozart irá certamente fazer parte das suas pesquisas.

Nascido em Salzburgo em 1956 mostrou desde cedo ser um prodígio como compositor. Wolfgang e a sua irmã conecaram cedo a atuar juntos para a realeza europeia. Durante a sua vida escreveu mais de 600 obras vem a falecer em Viena no ano de 1791. A sua vida estará para sempre associada a cidade de Salzburgo pelo que e possível conhecer muito da sua vida e obra quando visitar esta cidade.

Praça de Mozart

Situada do lado histórico da cidade esta praça onde no natal se situa a pista de gelo é o unico local que podera visitar de forma gratuita. E também nesta praca que se situa o posto de turismo para onde poderá comprar bilhetes para recitais com a obra de Mozart. Não é o único sítio onde pode comprar bilhetes mas foi onde nós compramos.

20181208_15354420181208_154818

Mozart Birthplace – este local, onde vivia a família Mozart quando Wolfgang nasceu é um dos dois locais na cidade onde se pode conhecer a vida e obra do compositor.

Está aberto todo os dias das 9 até às 17:30 e custa 11€

2018-12-08 16.25.10.JPG

Residência de Mozart – quando a família cresceu o pai de Wolfgang decidiu que estava na altura de se mudarem para um apartamento mais espaçoso. O edifício original foi destruído durante a segunda guerra mundial mas foi posteriormente reconstruído e está agora aberto ao público. O espaço conta com instrumentos originais da família e conta a história da família Mozart.

Também está aberto todo os dias das 9 até às 17:30 e custa 11€

Concertos e Recitais – existem por toda a ckdade. Nós compramos o nosso no posto de turismo e pagamos 22€ por pessoa. Na verdade não achei nada de especial mas creio que era porque estava mega cansada.

20181208_191427.jpg

 

 

Viagens

Mercados de Natal em Salzburgo

Já e’ tradição para nos irmos a um mercado de Natal por ano. Ja falei mais sobre este tema tanto que ate criei uma tag. Este ano foi Salzburgo o escolhido. Foi a nossa estreia em mercados austríacos e a minha opinião e’ “meehhhh”. O mercado e’ bom, sem duvida, mas e’ concentrado em três praças adjacentes e estavam la MILHARES de pessoas, pelo que a experiência não foi assim tão boa… Por outro lado tinham coros a cantar durante quase todo o dia o que transforma sempre qualquer ambiente!

2018-12-08 11.39.36-1.jpg

Entao em resumo, o mercado de Natal pode ser encontrado na Domplatz e na Residenzplatz.

Na Mozartplatz podem encontrar a pista de gelo super animada.

20181208_153619.jpg

E claro, comida e bebida tipica de mercado de Natal nao e’ coisa que vos ira faltar!

2018-12-08 14.40.32.JPG

2018-12-08 14.32.01-1.jpg

 

Viagens

Salzburgo – o que ver, o que fazer, o que visitar!

A viagem de Salzburgo foi muito especial porque fomos com os primos do J. Tentamos fazer sempre uma viagem por ano juntos para passarmos tempo de qualidade juntos. Aproveitar a companhia uns dos outros e conversar teve prioridade em relação a visitar mais monumentos. Mesmo assim não deixamos de visitar os principais pontos da cidade. A parte boa de visitar uma cidade tao pequena e’ que fizemos tudo a pé!

Fortaleza de Hohensalzburg – este castelo medieval localizado no topo de uma colina em Salzburgo e e’ onde conseguira ter as melhores vistas sobre a cidade. Neste castelo medieval encontrará também museus sobre a história de Salzburgo, capelas, e salas historias. Para chegar la a cima basta apanhar o funicular e poupar as pernas.

20181208_135931.jpg

Praça Chapter– esta praça e’ principalmente conhecida pela estátua da bola dourada gigante com uma pessoa no topo

2018-12-08 11.46.18_2018-12-08 11.46.29-1_0000.jpg

Catedral de Salzburgo – esta que e’ a principal catedral de Salzburgo merece uma visita. Localizada na praça Domplatz a sua fachada ocupa um dos lados desta praça. E’ aqui em frente e na praça ao lado (Residenzplatz) que se situa o principal mercado de Natal da cidade

2018-12-08 11.41.06_2018-12-08 11.41.15-1_0000.jpg

Mozartplatz – E’ neste local que irá encontrar a principal pista de gelo da cidade e, claro esta, uma estatua de Mozart! Também e’ aqui que encontrará o posto de informações onde pode comprar bilhetes para recitais de música.

20181208_153544.jpg

Getreidegasse – esta rua estreitinha e’ a rua do comércio mais conhecida de Salzburgo. Os edifícios característicos, lojas de souveniers, cafés entre muitos mais podem ser encontrados aqui.

20181208_160613.jpg

Mozart’s Birthplace – localizada no número 9 da Getreidegasse, foi aqui que os Mozart moravam quando o filho Wolfgang Amadeus Mozart nasceu a 27 de Janeiro de 1756.

2018-12-08 16.25.10.JPG

Love Lock Bridge – Esta ponte e’ conhecida por ter milhares de cadeados que casais colocam aqui.

IMG_20181209_115859.jpg
Fotografia de L.P.

Mozart Residence – o museu de Mozart esta instalado no apartamento para onde a família se mudou quando Mozart era criança. O edifício foi parcialmente destruído durante a segunda guerra mundial e foi reaberto ao público em 1996. E’ um museu super interessante porque mostra não só a vida de Wolfgang Amadeus Mozart mas também da irmã, dos pais, da esposa e dos filhos. Alguns instrumentos musicais originais podem ser encontrados no museu.

Mirabell Palace – este palácio histórico fica também no centro histórico da cidade. O palácio e os seus jardins são património mundial da Unesco. E a melhor parte? Sao gratis!

 

 

20181208_124254.jpg
Vista de Fortaleza de Hohensalzburg sobre Salzburgo