Viagens

Albânia e Comida

Não creio ser nenhum segredo por aqui que comida é uma parte MUITO importante da minha vida. Ultimamente tenho tido o cuidado de pesquisar com antecedência quais são os pratos típicos de determinado país e restaurantes típicos para não perder nada!

Na verdade na Albânia tivemos 3 refeições: almoço e jantar de sábado e almoço de domingo. Dividimo-nos então por três restaurantes de forma a cobrir todos os possíveis campos: dois restaurantes típicos albaneses e um restaurante de peixe (mais porque eu e o J. temos muitas saudades de peixe).

No sábado almoçamos por Berat, num restaurante dentro do castelo. Sem pesquisas previas ou recomendações. Olhamos para o menu e vimos que tinha pratos típicos que queríamos experimentar e entramos. Acabamos por pedir um “mixed plate” que foi a melhor decisão porque tivemos oportunidade de experimentar uma série de pratos típicos albaneses como Byrek e Speça me gjize entre outros. Recomendo mesmo! Ah, pagamos 2000Lek/€16.5/£14 para os dois.

A noite resolvemos ir a um dos restaurantes mais bem cotados de peixe em Tirana, o Markata e Peshkut. Eu comi um linguini com frutos do mar e o João uma dourada… Problema deste sítio? Pagamos mais de 20 euros por uma garrafa de vinho e mais 20 por uma dourada para uma pessoa… Por isso recomendo que vão mas só peçam pratos ou bebidas que venham escritas no menu, ou correm o risco de serem roubados!!

Finalmente para o último dia decidimos experimentar um restaurante super recomendado como sendo o típico albanês, o Oda. De facto quando entramos percebemos que de turístico nada tinha. As salas eram frias e decoradas de forma muito simples. A casa de banho era no exterior e consistia num buraco no chão (estilo turco)… Apesar do choque recomendo MUITO! É dificil dar com ele porque não é na rua principal (ver foto abaixo). Tanto eu como o João escolhemos pratos típicos. Eu comi vegetariano porque a maioria dos pratos tinham cordeiro que não aprecio. Não tiramos fotos de todos os pratos mas como bônus temos foto do menu 😉 Curiosamente custou exatamente o mesmo que pagamos no almoço do dia anterior, 2000Lek/€16.5/£14 para os dois!

Viagens

Tirana

Ja disse por aqui varias vezes que quando saimos do circuito das “cidades” grandes comeca a ser repetitivo. E nao so e’ repetitivo como nao ha muito para ver. Tirana e’ exatamente assim! Nao ha muitas igrejas porque foram quase todas demolidas durante as decadas de comunismo, nao ha grande arquitetura, mas vale sempre a pena dar um passeio. No nosso caso decidimos fazer o free tour, que valeu muito a pena. Durante 3 horas percorremos as ruas de Tirana e aprendemos muito sobre os anos do comunismo, o isolamento da Albania do resto do mundo, a recuperacao dos anos perdidos, a reconstrucao do pais, o investimento externo e o apoio da Uniao Europeia.

Nao vou entrar em detalhes sobre a historia porque sei que vou fazer asneira. No entanto fica aqui o roteiro:

O tour comeca mesmo em frente a Opera, na Praça Skanderbeg.

20200126_135342~2.jpg

Depois visitamos o Bunker (onde podem aprender mais sobre a Albania durante os anos do comunismo) e passamos junto a um museu coberto por uma instalacao artistica de gosto questionavel (peco desculpa, nao encontro o nome!)

2020-01-26 14.42.02-1-2020-01-26 14.42.08-1_0000.jpg

20200126_144944~2.jpg

Mesmo pertinho deste museu passamos pela Mesquita Et’hem Bej (ainda em construcao).

20200126_154211~2.jpg

A atracao mais conhecida da cidade chama-se piramide. Nada mais e’ do que um edificio abandonado onde os mais jovens se juntam para conviverem e subirem o edificio. Nos anos 90 albergava duas discotecas que fecharam ha muito.

2020-01-26 16.04.12-1-2020-01-26 16.04.16-1_0000.jpg

Pela cidade podem descobrir varias instalacoes artisticas, incluindo a “nuvem”.

20200126_145005~2.jpg

Finalmente paramos na igreja S. Paulo, que embora de arquitetura moderna, vale muito a pena entrar

Existem outros pontos na cidade como a torre do relogio mas nem sequer tiramos fotos…

20200126_164500~2.jpg

Aqui fica um mapa com os principais pontos e restaurantes.

Uncategorized, Viagens

Berat e Apolonnia

Já tinha lido há uns anos a visita que a Dri Everywhere tinha feito à Albânia em que tinha visitado Berat e quando comprei o guia da Albânia e vi que a imagem de capa era de Berat decidi logo que tinha de incluir uma visita a este lugar! Quando pesquisei tours vi que Apolonnia era sempre incluído pelo que ficou decidido ir aos dois.

Berat é conhecida como a cidade das janelas. É impossível não ficar a olhar embasbacados da outra margem do rio sem tentar perceber o que se passou por ali.

Apesar de turística na verdade não vimos assim tantos turistas (mas nós fomos em Janeiro…) pelo que sentimos que de facto foi uma experiência autêntica. Na verdade não há muito para ver na cidade para além de procurar a melhor perspectiva para a fotografar.

No entanto, mesmo em frente há um castelo. Mesmo em frente no mapa porque na verdade é bem no topo de uma colina. Lá dentro tem imensas lojas, restaurantes, ruínas e uma vista bem interessante sobre Berat que valeu muito a pena.

Nota: nós decidimos conduzir até Berat e Apolonnia em vez de marcar uma tour apenas porque achamos o preço um exagero. Podem ver como fizemos aqui. Almoçamos com imensa calma, passeamos até termos a certeza que estava tudo visto, tudo com calma.

Quando achamos que estava tudo visto pusemo-nos a caminho de Apolonnia. Todas as informações que encontramos dizia que fechava as 17 no inverno mas estava errado, na verdade fechava as 16. Quando lá chegamos batemos com a cabeça na porta e ficamos tristíssimos. No entanto quando estávamos a caminhar para o carro o guarda chamou-nos e deixou-nos ver as ruínas sem mais ninguém! Não estávamos a acreditar na nossa sorte! E quando acabamos ainda nos abriu a porta do museu, da igreja e da torre!!! Muito surreal de tão fantástico!!!! E então o que é Apolonnia? Apollonia e’ uma cidade ancestral grega. No local ainda e’ possivel visitar as ruinas e o museu que valem a pena qb. Nao estamos a falar de uma acropole em Atenas mas tendo em conta a dimensao do pais e’ bastante interessante.

 

 

Viagens

Roma e Vaticano

Roma foi a primeira paragem do nosso interrail. Ficamos apaixonados pela comida e prometemos voltar a Itália, algo que temos cumprido quase anualmente! Aqui está de forma resumida os principais pontos que visitamos na cidade. Certamente visitamos mais mas não queria alongar-me. Vejam este roteiro como o que fazer em Roma e no Vaticano em dois dias.

  • Fontana de Trevi

SDC12524.jpg

  • Coliseu

SDC12631.jpg

  • Forum Romano
  • Piazza Navona
  • Escadarias da Praça de Espanha

SDC12570.jpg

  • Praca de Espanha

SDC12561.jpg

  • Castelo de Sao Angelo

SDC12781.jpg

  • Monumento Vitor Emanuel

SDC12833.jpg

  • Monte Capitolio

SDC12643.jpg

No Vaticano visitamos a Praca de Sao Pedro e o Museu do Vaticano.

 

 

 

 

 

Viagens

Sicília- Palermo a Agrigento

Creio que já falei por aqui que percebemos rapidamente que os 3 dias que íamos passar na Sicília não seriam suficientes para ver toda a ilha. Como o J. tem um amigo cuja família é da Sicília ele deu-nos imensas dicas para fugirmos um pouco do circuito turístico que normalmente fica do lado este da ilha. Ah, e antes que se questionem, o Etna estava em erupção quando fomos lá pelo que estava interdito a visitas.

E então onde fomos? Decidims concentrarn a viagem na Costa norte, oeste e sul (até Agrigento).

Dia 1

piscina do hotel estava óptima pelo que a viagem começou bem mais tarde do que estávamos a espera. Fizemos uma estrada cénica em direção a oeste e paramos para almoçar em Erice, uma vila que parece parada no tempo no topo de uma montanha.

Depois de almoço seguimos até Sciacca onde visitamos o castelo encantado.

Acabamos o dia a dar um mergulho na praia mais próxima

Pernoitamos em Agrigento.

 

Dia 2

Da parte da manhã visitamos o centro histórico de Agrigento e da parte da tarde a livraria dos turcos, uma escadaria natural, feita pela erosão do mar na rocha, o ponto mais conhecido da ilha.

Conduzimos até Cefalu, onde chegamos mesmo a tempo do por do sol

2019-09-08 18.51.38-1.jpg

Dia 3

Começamos o dia a visitar o santuário de Gibimamna, uma igreja bem no tipo de uma colina com vistas de fazer cair qualquer queixo.

2019-09-09 10.30.34.jpg

Depois de almoço fomos até Palermo onde percorremos os principais pontos da cidade

Viagens

Alojamento na Sicília

Quando começamos a procura de alojamento na Sicília percebemos muito rapidamente que a oferta se concentra muito em alojamento local, em arrendar quartos em casas, o que não é bem a nossa cena. Embora viajemos com um orçamento em mente já não dispensamos a segurança de um hotel. Assim sendo tentamos concentrar a procura em hotéis convencionais mas os preços eram do outro mundo (cerca de 200 euros por noite!). Desistimos então e embora na primeira noite tenhamos ficado num hotel, nas duas noites seguintes ficamos em alojamento local.

A primeira noite foi num hotel nos arredores de Palermo, o Hotel Bel 3. O caminho sinuoso até ao hotel assustou, mas quando acordamos na manhã seguinte percebemos que a vista era fantástica. Assim sendo decidimos adiar os planos da manhã e ficamos a aproveitar a piscina. O pequeno almoço está provavelmente entre os melhores que já comi, com imensa variedade! Não tirei fotos mas vão por mim, vale mesmo a pena!

Hotel Bel 3, Palermo –  £55/64€  com pequeno almoço (óptimo preço!)

Na segunda noite ficamos em Agrigento, num alojamento local que tivemos de marcar a última da hora porque o que tinhamos marcado cancelou dois dias antes da viagem. Este era bem mais simples mas tinha a vantagem de ter uma cozinha (que não usamos!).

B&B IL Gigante – £46/53€ com pequeno almoço

Por fim, na última noite ficamos em Cefalu, uma cidade bem turística (e bonita!). O staff era super simpático mas o alojamento foi uma desilusão. A casa de banho ficava fora do quarto e como fomos os últimos a tomar o pequeno almoço já não havia nada…

Ma&Mi B&B – £57/66€ com pequeno almoço

2019-09-08 19.30.47-2019-09-08 19.30.53_0000.jpg

Viagens

Sicilia – Impressoes

Setembro inaugurou uma temporada de viagens. Não as verao por aqui apenas porque foram visitas a familia e afins, pelo que nao ha muitas novidades nestas novidades.

A Sicília não foi escolha minha. Foi-me oferecida pelo J. como prenda de aniversario (a melhor prenda que me podem dar!!) e era já um desejo dele há muito tempo!

Desta vez não teremos o post habitual com os custos apenas porque como foi uma oferta não tenho ideia dos custos todos. No entanto ele pediu-me para olhar para os hotéis que tinha escolhido e os preços andavam a volta das 55~65 libras/euros.

Sobre a Sicília posso dizer muito e tão pouco. Primeiro, alugar carro é imprescindível! Nós alugamos com a interrent (a Ryanair do rent a car). Não se admirem se o carro estiver todo batido, mas não se esqueçam de pedir que todos os estragos estejam assinalados no check in para evitarem doces surpresas quando devolverem o carro. Depois, na verdade precisam de pelo menos uma semana para visitar a Sicília. Nós só fomos 3 dias e vimos uma pequena parte do norte, nordeste e sudeste da ilha. O nosso trajeto incluiu zonas menos turísticas porque foi feito de dicas de um amigo do J. que tem raízes neste ilha. A última impressão é que têm de esquecer a Itália monumental que conhecem do norte. Já perceberam nesta altura que nos nos amamos Itália. Tentamos ir pelo menos uma vez por ano, sendo que este até fomos duas, quando visitamos Bolonha! O sul da Itália e a Sicília são pobres. Não há miséria mas nota-se bem que não há abundância… A um nível que não me recordo de ver em Portugal, com exceção da Madeira.

Mas a Sicília é linda!!! O sol a dourar aquela terra, as cidades pequeninas que têm um charme único, as estradas cénicas…

Viagens

Colonia

Quando decidimos visitar esta zona da Alemanha rapidamente percebemos que o nosso foco seriam os castelos. Mas mesmo assim nao queriamos deixar de dar um saltinho a Colonia, principalmente depois de saber que a Lindt tinha um museu de chocolate por la.

Sendo muito sincera Colonia nao tem muito que ver. Um par de horas e visitam nao so a cidade como o museu.

Nos gostamos imenso do museu, valeu muito a pena.

A cidade… Bem, nao e’ ma, mas tirando a marginal junto ao rio e uma catedral nao havia muito mais para ver…

(este post sera provavelmente o mais aborrecido da historia…)

Viagens

Castelo de Augustusburg ou Castelo Bruhl

Se o Castelo Drachenburg tem um estilo germanico o Castelo de Augustusburg e’ claramente de unfluencia francesa e construido em estilo Rococo. Mal passa os portoes da propriedade vai dar de frente com o castelo e as semelhancas com o palacio de Versalhes sao mais que evidentes…

Os jardins tambem de estilo frances sao tambem imperdiveis!

A construcao do castelo comecou em 1725 e foi feito no mesmo local das ruinas de um castelo medieval. A conclusao da construcao do castelo foi em 1768 e inumeros artistas reputados europeus trabalharam aqui. O castelo e’ considerado patrimonio da UNESCO.

Visitar o castelo nao e’ dificil mas e’ uma “chatice”. Embora existam audioguias (em portugues ate!) na verdade nao se pode visitar o castelo livremente, tem de se juntar a uma visita guiada em ALEMAO! Sim, nada pratico. Para alem disso nao e’ permitido tirar fotografias no interior que e’ a parte mais bonita do castelo. As fotos que apresento em baixo sao do site do castelo.

Mais informacoes sobre horarios de visita e bilhetes pode ser encontrado aqui.

Viagens

Castelo de Drachenburg

Quando decidimos ir passar o feriado de Agosto a Alemanha tinhamos um objetivo em mente: visitar castelos. Talvez tenha lido demasiados contos de princesas mas eu adoro visitar castelos e nao ha pais melhor para o fazer do que o germanico.

O primeiro que visitamos foi o castelo de Drachenburg. Este castelo foi construido entre 1882 e 1884 pelo barao e bancario Stephan von Sarter que nunca chegou a viver no castelo.

Os jardins do castelo, os detalhes das divisoes e as escadas monumentais sao mesmo de sonho!

Mais informacoes sobre horarios de abertura e preco dos bilhetes podem ser encontrados aqui.