Viagens

Siem Reap e Cambodja – impressões

A visita a este país trouxe reações contraditórias. A pobreza do país é visível e estar a descansar na piscina do hotel foi um murro no estômago porque nesse dia tinha visto crianças a tomar banho num rio muito poluído. No entanto defendo que o melhor que podemos fazer pelo crescimento económico de um país é visitá-lo. Não dou muito dinheiro lata caridades, não sou grande adepta porque não consigo ver o que é que a minha contribuição vai fazer pelo país mas o turismo não, é direta a criação de emprego, a diferença que vou fazer.

Primeiro que tudo a simpatia e humildade. A curiosidade em descobrir quem éramos, de onde vinhamos e para onde íamos. A alegria e o cuidado em decorar o nosso nome, em nos fazer sentir acarinhados e bem vindos ao país deles.

Mas por outro lado a pobreza. As crianças a vender nos templos (nunca comprem, só estão a fazer com que não vão à escola!), o facto de sermos constantemente abordados (a partir de um momento eu já nem respondia ou só dizia não). O facto de todas as compras serem negociadas (que nem sempre o fazíamos, as vezes perdíamos a paciência…). E o lixo por todo o lado, os cheiros muito duvidosos…

Por último os preços. Embora este tenha sido o sítio mais pobre que visitamos (muito mais que cuba por exemplo), foi sem dúvida o que achei que estávamos a ser abusados. Os bilhetes para os templos são caríssimos, as refeições custavam o dobro ou o triplo do que gastamos no Vietname, os tuk tuk estavam claramente a aproveitar-se. Para terem ideia o nosso hotel não fica no centro de Siem reap mas oferecia tuk tuk para irmos para o centro da cidade, e só tínhamos de pagar o de regresso. Disseram-nos que iríamos pagar cerca de 2 a 3 dólares se negociassemos. Experimentamos utilizar o Grab e só pagamos no máximo $1.5…

Por fim a moeda. Mal tocamos em moeda local. Tudo é transacionado em dólares a não ser que seja menos de um dólar, onde vos é dado o troco em moeda local. Isto é ótimo porque assim não tem de lidar com mais nenhuma moeda mas por outro lado significa que todos os preços estão inflacionados…

Em resumo, voltava? Sem dúvida!!!!

E que comecem os posts sobre o Cambodja!

Viagens

Sudoeste Asiático – Introdução e Itinerario

Esta serie de posts vai ser longa, provavelmente vai durar mais de dois meses, só para avisar 🙂 . Eu pessoalmente prefiro posts curtos e varios do que um longo que nunca vou ler 🙂

Programar uma viagem para esta parte do mundo nao e’ facil, principalmente quando temos pouco tempo. Assim sendo aqui ficam alguns fatores que tivemos em conta quando decidimos o itinerário:

  • Singapura e’ um hub para a viajar na Ásia, sabemos que mais tarde ou mais cedo vamos la voltar pelo que escolhemos não passar muito tempo
  • O objetivo de ir ao Vietname era ir a Ha Long Bay, pelo que não passamos muito tempo em Hanoi
  • No Cambodja apenas queríamos visitar os Templos de Angkor
  • Na Tailândia não queríamos mudar todos os dias de hotel pelo que dividimos o tempo por dois sitios (no sul). Tambem sabiamos que nao queriamos ir a Phuket pelo que apesar de utilizarmos o aeroporto nem la paramos
  • Bangkok também é um hub para viajar na Ásia, motivo pelo qual escolhemos passar apenas dois dias lá

Assim sendo aqui vai o itinerário:

18/04 – embarcamos as 21:35 de Londres para Singapura chegando no dia seguinte ao final do dia (voo direto com a British Airways)

20 e 21/04 – Singapura

22/04 – voamos para Hanoi de manha

tarde de 22 e manhã de 25 de Abril – Hanoi

23 e 24/04 – Cruzeiro na baía de Ha long.

25/04 – voamos para Siem Reap (Cambodja) ao final do dia

26 e 27/04 – Visitar templos de Angkor

28/04 – voamos para de Siem Reap para Phuket  bem cedo. Ficamos duas noites nas ilhas Phi Phi e 3 noites em Ao Nang.

03/05 – voamos de Krabi para Bangkok ao final do dia

4 e 5/04 – Bangkok

06/05 – voamos para Londres às 11:30 hora local chegando às 18:20 do mesmo dia.

Untitled.png