Liquidos em bagagem de maos – Parte 2 – O que levo comigo em viagem

Depois do primeiro post sobre truques como aproveitar ao maximo o espaco da bolsa de liquidos aqui vai um exemplo concreto do que levei comigo para uma viagem de 2 noites na Romenia:

20180524_212937
Overview dos produtos que levei para uma viagem de 3 dias (eu sei, e’ muita coisa)

Para o banho/dentes levo o schampoo e o amaciador numa embalagem reutilizavel, um gel de banho de 30ml, amostras do produto para lavar a cara e uma pasta de dentes pequena (que partilho com a minha cara metade).

Para a rotina da manha levo uma amostra a minha pomada para o tratamento da rosacea, uma amostra do meu serum (que reuso), um creme de olhos, creme hidratante (levo a mesma embalagem que uso em casa), um balsamo para os labios bem pequeno e um protector solar.

20180524_213043

Para a rotina da noite levo um serum/acido (escolho um da colecao), um serum para os olhos, um creme de tratamento para os olhos e utilizo o serum da manha e o creme hidratante que utilizei de manha.

20180524_213127

Finalmente, levo tambem um pequeno creme hidratante para o corpo.

20180524_213108

Bem sei que e’ dificil manter a perspectiva dos produtos nestas fotos porque sao todos pequenos mas aqui vai o tamanho de alguns dos produtos

 

 

Liquidos em bagagem de maos – Parte 1 – Truques

Presumo que nesta altura todos sabemos as regras dos liquidos nas bagagens de mao, certo? Ok, so para ter a certeza aqui vai, adaptado do site da Ryanair:

Todos os líquidos transportados têm de estar guardados nos respectivos recipientes inferiores a 100ml. As embalagens tem de ter menos de 100 ml pelo que nao tentem passar um frasco de 200ml com um bocadinho no fundo. Lamento mas nao vai passar.

Todos os líquidos devem ser transportandos num único saco de plástico, transparente e possivel de ser selavel, com as medidas máximas de 20cm x 20cm e capacidade total até 1 litro. O saco tem de ser possivel de fechar com todos os liquidos la dentro.

O saco dos líquidos tem de ser removido da bagagem de mão para passar separadamente pelo controlo de segurança.

Esclarecidos? Ok, vamos passar a frente.

Sou menina para usar muitos cremes. Muitos mesmo. Sou super certinha com as minhas rotinas dos cremes, serums e afins. Quando viajo, e porque a maioria das vezes o faco apenas com mala de mao tenho de limitar muito o que levo comigo. Aqui vao alguns truques que uso:

  • O saco – ja nao uso os sacos do aeroporto porque sao muito pequenos. As regras dizem que o saco tem de ter 20cm por 20cm mas nao fala na terceira medida. Por isto mesmo utilizo uma bolsa. A bolsa que estou a utilizar actualmente comprei na Primark mas ja vi em tudo o que e’ loja.
  • Embalagens reutlizaveis – como utilizo schampoos e amaciadores que nao consigo arranjar amostras por isso comprei estas embalagens que se espremem e sao super fixes. Ja tive umas de plastico rigidos mas acho que fica sempre demasiado produto na embalagem por isso arranjei estas que sao de plastico mole. Tambem recentemente comprei uns boioes pequenos para levar creme hidratante.
  • Amostras – tento ao maximo arranjar amostras ou compro produtos em tamanho pequeno. Na boots e na superdrug existe uma seccao so com amostras. Sao bastante caros no preco por litro mas como prefiro ter a flexiblidade de poder levar mais embalagens prefiro it por esta opcao. Ja cheguei ao cumulo de pagar para amostras
  • Produtos ja meio usados – por exemplo, para a minha rosacea uso uma pomada. Em vez de levar uma embalgem nova levo sempre uma quase no final porque assim pouco espaco.
  • Nao leve produtos duplicados – nao pode utilizar o desodorizante da sua cara metade por uns dias? Escusa de levar um para si! O mesmo se aplica para gel de banho ou pasta de dentes por exemplo.

Sou o que sou e não o que tenho

Depois do post do mês passado sobre a maternidade este mês abordo a questão do materialismo.

Cada vez mais me defino pelo que sou e não pelo que tenho. Isto pode parecer estranho de alguém que trabalha numa área altamente materialista mas corresponde cada vez mais à verdade.

Quando alguém me pede para descrever a Joana, jamais digo “sou a Joana e tenho uma mansão (piada!), um jaguar (ah! ah! ah!) e um closet cheio de roupa (I wish!).” Seria simplesmente estúpido, certo? Então porque é que continuamos a esfregar na cara dos outros o que compramos, os hotéis onde ficamos, as viagens que fazemos? Cada vez mais o meu Instagram mostra sentimentos e não o que tenho/fiz porque estou numa batalha interior para ser mais assim. Fotos antigas em que a santíssima Trindade aparece abraçada (pai, mana e eu), a minha sobrinha a saltar e cantar, fotos de locais que despertaram determinadas sensações.

Isto não significa que não tenho bens materiais ou que não sou consumista. Simplesmente o que tenho, o que paguei com dinheiro (ou me foi oferecido) não é o que eu sou, não faz parte da minha personalidade. São bens que me dão conforto, um estilo de vida, gozo, etc. Mas não passam disso, de objectos ou serviços. O mais importante continua a ser o que tenho cá dentro e dou ao mundo.

Bem sei que ter um blog sobre viagens faz transparecer a ideia de que estou a esfregar na cara dos outros o que tenho. Não podia ser mais errado, na verdade o blog surgiu porque os amigos começaram a pedir dicas sobre viagens e com o tempo informação preciosa foi—se perdendo. Este espaço não é mais do que um “despejar” de informação que me vai no cérebro e que não quero perder.

“As coisas são so coisas e a vida é o que fazemos dela.” – Diogo Amaral

It’s my birthday!!

Hoje não há o post habitual. Hoje faço anos, 32, e como (não) preciso de desculpas para viajar estamos na Roménia a celebrar em estilo o aniversário desta que vos escreve. Por isso parabéns para mim, para vocês que tem a sorte de ler isto (ah, ah, ah) e vão aproveitar o dia, feriado para quem está no Reino Unido!

Nas próximas semanas posts sobre a Roménia serão publicados!

IMG_20180528_132348_120.jpg

Preparativos para viagem

Sou sincera, não sou grande adepta de deixar as viagens em branco, decidir na altura o que fazer. Acima de tudo porque AMO planeamento, sou completamente obcecada mesmo, não só com viagens, mas com toda a minha vida (é a minha veia de marketeer). Mas também porque fico super irritada quando vou a algum lado e depois me dizem “não foste ao sitio x? Como é que perdeste, é fantástico!”. Assim, e para evitar este tipo de situações planeio e MUITO as minhas viagens. Aqui vai uma lista do que preparo para as viagens:

  • Marcar hotéis – NUNCA viajo sem saber onde vou dormir nesse dia (exceto na Croácia, porque o tipo de viagem foi diferente)
  • Verificar que tipo de tomadas elétricas são utilizadas no destino
  • Verificar a moeda do pais, pesquisar se é fácil levantar moeda e, caso não seja euro ou libra, trocar algum dinheiro antes de entrar no pais. Mesmo que não seja muito, uma vez que uso Revolut.
  • Verificar se os seguros de saúde, carro, etc estão atualizados (e levo copias comigo!)
  • Verificar quando posso fazer check-in online e colocar no calendário, para não me esquecer
  • Comprar e levar um guia de viagens em papel, que depois será colocado junto a coleção de livros de viagem
  • Verificar com o hotel se podemos deixar as malas – principalmente se estivermos a falar de um hotel mais baratucho
  • Fazer um mapa no google maps com os pontos que quero visitar – exemplo em baixo
  • Pesquisar quais são as comidas locais e restaurantes onde podemos encontrar este tipo de comidas
  • Descobrir qual a melhor (e mais barata) forma de ir do aeroporto para a zona a visitar
  • Marcar visitas guiadas quando não existe outra forma de fazer determinada visita
  • Verificar horários de aberturas de atracões que queremos visitar
  • Verificar o estado do tempo com várias semanas de antecedência do lugar que vamos visitar, para perceber a tendência
  • Verificar se todas as baterias extra estão carregadas
  • Imprimir o roteiro. O roteiro que faco é sempre exaustivo. Por norma não cumpro tudo, é só um guia para os dias. Para mim é importante ter uma estrutura, para não me perder.

Exemplo de mapa que faço em preparação para a viagem.

Next Destination – Romania!

Rumo ao objetivo de visitar todos os países europeus ate aos 40 anos (ainda falta, ainda falta…), o próximo será a Roménia. Maio e’ um ótimo mês para viajar para quem vive no Reino Unido porque tem dois feriados e embora não tenhamos aproveitado o primeiro, iremos aproveitar o segundo para uma escapadinha.

A Roménia, tal como a maioria dos últimos países europeus que visitamos, não fica naquele circuito básico dos turistas. No entanto tenho um amigo que fez Erasmus por la e o meu primo teve oportunidade de visitar este pais e não se cansou de dizer bem.

O roteiro será de um dia em Bucareste (dividido entre 2 meios dias) e outro na Transilvânia, com especial destaque a Brasov e ao “castelo do Drácula”. Alguém quer sugerir algum lugar imperdível?

ancient-architecture-blue-460659.jpg

Keukenhof – Parque das tulipas

Há umas semanas atrás fiz uma viagem em família. Era há já muito yempo desejo da sogra de ir à Holanda ver as tulipas e achamos que seria uma forma fantástica de aproveitarmos algum tempo de qualidade em família. Sobre esta viagem, uma vez que já não  é a nossa primeira vez na Holanda, não existirão muitos posts, no entanto achei importante falar no Keukenhof porque foi uma surpresa (positiva e negativa). O Keukenhof é um parque temático sobre tulipas. Não são campos a perder de vista com tulipas como achei que seria. Por um lado achei fantástico porque não se tornou aborrecido, por outro desiludiu muito porque se soubesse tinha parado em campos de tulipas fora do parque para tirar fotos.

A época de abertura do parque varia todos os anos mas em 2018 foi entre 22/03 e 13/05. São vários hectares de arranjos florais dedicados todos os anos  um tema diferente, sendo que este ano foi dedicado ao romantismo. Os bilhetes podem ser comprados com antecedência (inclusive o parque de estacionamento) e existem várias possibilidades de viajar para lá sem utilizar o carro. Embora exista um cuidado para existirem flores abertas em todas as alturas eu aconselho a que a visita se fala no final de abril pois é aí que verá a maioria das flores no seu esplendor.

Dentro do parque existem todas as comodidades para passar um dia por lá como áreas de descanso, restauração, etc., no entanto se quiser e poder leve o seu lanchinho, nenhuma mas opções de comida que vi por lá foram fantásticas.

Keukenhof

Localização: Stationsweg 166A 2161 AM Lisse

Datas de abertura: final de março a início de Maio

Preço: 17€ por adulto, 8€ crianças dos 4 aos 17, parque 6€

Possível marcar antes para evitar stresses: https://keukenhof.nl/en/

Como conseguir descontos nos comboios no Reino Unido

Os comboios na terra de sua majestade são caros para xuxu! Mas existem alguns truques para baixar um pouco os preços dos comboios.

  • Viaje fora da hora de ponta – o preço dos bilhetes por aqui depende da hora em que se viaja pelo que evitar horas de ponta faz 6:30 e as 09:30, e 16:00 e as 19:00
  • Utilize um cartão de desconto – existem vários cartões de desconto como o Network Railcard (que da um desconto de 30% ate ao mínimo de £13 se for durante a semana e sem valor mínimo durante o fim de semana). Este cartão da não só um desconto ao portador do cartão como a um grupo com um máximo de 4 adultos e 4 crianças. Este cartão também da direito comprar 2 bilhetes pelo preço de 1 em diversas atrações em Londres se viajarem de comboio nesse dia para londres. Não se esqueçam de levar o formulário preenchido e os bilhetes, senão o desconto não será aplicado. Este cartão tem um custo de £30 e e’ valido por um ano. Existem outras versões deste cartão, podem encontrar informação aqui: https://www.railcard.co.uk/
  • Descontos de Grupo – Se viaja com um grupo existem descontos disponíveis. Não necessita de pedir nenhum cartão, questione na estacão antes de comprar o seu bilhete
  • Compre com antecedência – Esta dica não e’ valida apenas para comboios de longo curso. Se comprar com antecedência poderá poupar mais de 50%
  • Flexível – seja flexível, principalmente em comboios de longa distancia. Comboios a meio do dia são normalmente mais baratos do que de manha e ao final do dia
Network_Railcard_(2017)
Retirado daqui

Bolsa Primeiros Socorros

Embora aconselhe MUITO que não se viaje sem seguro de saúde nem todas as maleitas são assim tão mas que nos façam levar a ir a um hospital.

Assim, viajo sempre com uma bolsa de primeiros socorros que contem os básicos para nos desenrascarmos caso tenhamos uma doença súbita. Já me deu muito jeito em casos específicos, como a minha cara metade que teve um herpes repentino ou uma intoxicação alimentar que sofremos. Evitou termos de andar a correr a procura de uma farmácia!

Medicamentos:

– Paracetamol

– Ibuprofeno

– Anti-histaminico

– Imodium

– Antiacidos

– Anti-gripine

– Caso tenha algum tipo de doença súbita será importante incluir estes também. Por exemplo no meu caso tenho sempre medicamentos para infeção urinaria, paracetamóis com cafeina para a dor de cabeça e medicação para herpes. Junte também a sua medicação habitual.

Para alem destes ainda adiciono alguns itens primeiros socorros:

– Gaze

– Alfinete de ama

– Pensos rápidos

Mantenha todos estes itens juntos e numa bolsa que seja fácil de identificar, caso tenha de usar numa urgência. No meu caso eu tenho a bolsa em baixo.

Capture.PNG

Kiev — O roteiro

Para ser mais fácil perceberem como organizamos o nosso tempo na Ucrânia aqui vai o roteiro:

Dia 1

Chegamos bem cedo e passamos a manhã a recuperar do voo nocturno

De tarde e depois de um almoco no Katyusha, visitamos o Palácio Mariyinsky, The Motherland Monument e o Mosteiro de Kiev-Petchersk. Jantamos no fantástico O’Panas.

Dia 2

Concentramos a manha no bairro de Podilskyi, visitando o Museu de Chernobyl. De tarde apanhamos o Kiev Funicular e visitamos a parte alta da cidade: Mosteiro de São Miguel das Cúpulas Douradas, St. Andrew’s Church e Catedral de Santa Sofia de Kiev. Descemos também aquela que e’ considerada “the most Kyivan of all Kyiv streets” – Andriivs’kyi descent.

Dia 3

Visita a Chernobyl.

Dia 4

Fizemos uma visita gratuita (aconselho sempre, são super giras!) que começou na
Praça da Independência e visitou muitos dos pontos que já tínhamos feito no dia 2.