Viagens

Tailandia – impressoes

Escrevo este post no dia seguinte a termos chegado da Tailândia. Para mim posts de impressões tem de ser escritos logo, sob pena de os sentimentos se solidificarem, de esquecermos pormenores que acabam por se dissipar a medida que o tempo passa. Embora nos momentos seguintes as viagens não se tenha noção de quanto a viagem impactou a nossa vida e’ necessário registar logo os momentos.

A Tailândia foi muito mais do que estava a espera. Na verdade a Ásia e’ muito mais do que estou sempre a espera. São as pessoas, os ritmos, o clima, a comida. Tudo fica diferente. Durante toda esta viagem (em especial na Tailandia) acabamos por falar muito com portugueses e brasileiros. Se normalmente quando deteto algum português ou brasileiro digo olá e sigo, mas desta vez foi diferente. Um dos dias acabamos por ir jantar com um grupo de portugueses e brasileiros que conhecemos no cruzeiro que fizemos nesse dia. Eu acho que isto só acontece porque sentimos necessidade de reconectar de volta as nossas raízes. O que estamos a ver e vivenciar e’ tão diferente que existe a necessidade de reconectar com as nossas bases, os nossos pilares, a nossa normalidade…

Bem, por onde comecar, a zona de Krabi (onde fica Ao Nang, as ilhas Phi Phi e todas as outras ilhas que visitamos) e’ muito mais do que eu pensei. E’ de uma beleza natural linda, vegetacao densa e unica, ilhas únicas e magnificas. A lente da máquina não consegue nunca registar o que vimos e vivemos.

E por outro lado Bangkok. Em Bangkok tivemos sorte e azar. No fim de semana que estivemos em Bangkok foi a coroação do rei. Isso significou que a cidade estava limpíssima, cheia de flores por todo o lado e sem trânsito (e sem cheiros também!). Mas por outro lado significou que movimentarmo-nos na cidade era quase impossível porque as ruas principais estavam cortadas e o palacio real estava fechado. Eu acho que na verdade ganhamos com este acontecimento.

20190501_094918_2.jpg

Viagens

Onde ficar em Siem Reap – Le Chantou Boutique

Se há cidade que tem expandido na última década por causa do turismo é sem dúvida Siem Reap. Se quem visitava os templos de Angkor Wat no passado tinha de se sujeitar a ficar em hotéis e pousadas de categoria duvidosa hoje em dia não é esse o caso certamente.

A escolha é variada e depende apenas da paciência que têm para procurar e o que pretendem gastar. Nós optamos por ficar no Le Chantou Boutique, e não ficamos nada desiludidos.

Este boutique hotel fica localizado nas imediações de Siem Reap e conta com 3 tipos de quartos: básico, superior e suite. Nós ficamos num básico que era enorme! A casa de banho incluía apenas um chuveiro mas dava super para o gasto. Arrependemo-nos de não ter pedido um upgrade não porque estávamos mal mas por ser tão barato. Algo que não dispensamos ter foi uma piscina, pois sabíamos que a temperatura ia estar muito alta e que aquele banho no fim da visita nos ia saber super bem.

O quarto que reservamos incluía pequeno almoço mas apenas usufruindo propriamente dele no primeiro dia porque nos seguintes tivemos de acordar muito cedo. Embora possam pedir ao hotel para vos fazer um pequeno almoço para levar este era mauzinho…

O hotel também tinha um pequeno restaurante com cerca de 10 opções de comida a um preço super razoável. Durante a nossa estadia optamos por comer por lá duas refeições, a piscina estava demasiado deliciosa para pensarmos em ir a cidade comer.

Por fim, o hotel não fica no meio da cidade de todo. No entanto eles oferecem um tuk tuk para vos ir levar. Na recepção disseram que para o regresso teríamos de apanhar um tuk tuk que deveria ficar por cerca de 2 a 3 dólares mas usamos o Grab e pagamos 1 dólar (mais uma vez mostra o quão adoramos esta aplicação!).

E o preço? Fantástico! Reservamos com alguns meses de antecedência e só pagamos $80 por três noites!

Aqui fica o link para o hotel: lechanthou.com

PANO_20190426_181859.jpg

Viagens

Angkor

Vou tentar não ser muito exaustiva neste ponto. Decidimos passar dois dias a visitar os templos. Provavelmente um dia teria chegado mas chegava a hora de almoço e estava tanto calor que preferiamos voltar para o hotel e usufruir da piscina.

Nos decidimos ir pela via facil e marcar o tuk tuk com o hotel. Pagamos 23 dolares no primeiro dia e 18 no segundo. Sabiamos que era demasiado para o que pretendiamos mas tivemos preguica…

No primeiro dia fizemos um tour pelos templos que ficam mais longe:  Banteay Srei, Preah Khan, Eastern Mebon, Prasat Leak Neang. Como estes templos não são tão conhecidos acabamos por estar mais vazios e podem ser aproveitados bem melhor!

No segundo dia tivemos de nos levantar bem cedo para ir a Angkor Wat ver o nascer do sol. Eu achava que ia ser uma banhada. As pessoas metem na cabeça que o nascer ou o pôr do sol num determinado sítio e’ uma coisa do outro mundo, no entanto esquecem-se que e’ so’ “o nascer do sol” ou o “pôr do sol”. Não vai haver um espectáculo de luzes e som, e’ so o sol a nascer tal como acontece todos os dias. Mas se era assim tão espectacular como diziam nao queríamos perder. Veredito? Deixem-se la ficar na camita, na verdade as melhores fotos que tiramos foi já perto das 8!

Neste dia visitamos claro Angkor Wat, Angkor Thom, Thommanon, Ta Keo

 

 

Viagens

Angkor – da teoria a pratica!

Já há alguns anos que tinha ouvido falar nos templos de Angkor. No entanto o interesse só ficou maior quando comecei a explorar mais a fundo esta zona da Asia.

Angkor estima-se ter sido a maior cidade do mundo no seu auge. Não me vou alongar sobre a história, podem ler mais sobre estes templos aqui. As ruínas de Angkor estão localizadas no meio de florestas e lagos e são consideradas patrimonio mundial da Unesco. No total já foram encontradas mais de mil ruinas de templos de diferentes dimensoes. E’ tambem aqui que se encontra o templo Angkor Wat, considerado o maior monumento religioso do mundo!

Conselhos práticos:

  • Roupa: Quase de certeza que vai estar calor. No entanto e’ MUITO importante levarem ombros e joelhos protegidos. Podem ver em baixo um exemplo da roupa que eu e o J. levamos. Se não cumprirem isto nao vao poder entrar e vão ter de pagar uma exorbitância por uma echarpe
  • Chapeu: Se sofrem com o calor na cabeça não se esqueçam de levar um chapéu. Eu comprei la mas sei que podia ter poupado bastante se tivesse levado
  • Podem reservar um tuk tuk com o vosso hotel ou então reservar no Grab. Esta aplicação deixa reservar um Tuk Tuk por um periodo de horas.
  • Os bilhetes têm de ser comprados antes de entrar no parque. Certamente o vosso guia irá la parar no primeiro dia. Um passe para um dia custa $ 37; para 3 dias $ 62 e para 7 dias $ 72. Nos compramos para 3 dias (mas so usamos 2) que e’ o mais comum
  • Agua: levem convosco algumas garrafas. Provavelmente o vosso guia irá dar-vos aguas frescas durante o dia mas nunca fiando… Nao comprem nada a beira da estrada que nao esteja selado
  • Comida: levem convosco alguns snacks. Claro que vao ter de parar para almocar mas o sitio onde vão parar vai ser precário pelo que so comam coisas cozinhadas.
  • Crianças: vão aparecer crianças a vender-vos coisas. Nao lhes comprem nada, apenas aos adultos. Vai custar mas os pais em vez de mandar os miúdos para escola acabam por os mandar para ali para ganharem algum dinheiro. Nunca toquem na cabeça das crianças, e’ considerado super desrespeitoso.
  • Monges: nao tirem fotos sem pedir autorização e nunca toquem num monge.

 

 

 

Dia a Dia

Resoluções para 2019 – balanço meio do ano

Estamos exatamente a meio do ano. E eu, tal como todas as pessoas, esqueci-me que tinha feito resoluções de ano novo… Mas felizmente este blog existe para me relembrar e poder fazer um balanço. E então aqui vão, apenas para relembrar, as 6 resoluções que fiz no início do ano:

– perder 8kgs
– fazer exercício duas vezes por semana (mesmo que isso implique que leve comigo as sapatilhas em viagem)
– ler pelo menos um livro por mês
– viajar apenas uma vez por mês (excluindo as vezes que viajamos para Portugal)
– continuar a escrever neste blog pelo menos duas vezes por semana
– fazer um curso por semestre: um de línguas e um de desenvolvimento de algo para o trabalho

E então como vamos de resoluções?

– perder 8 kgs – Comecei bem o ano e perdi quase 3kgs dos 8 que queria mas já os recuperei…. Não começamos bem…

– exercício duas vezes por semana. Depende da semana. Mas está bem melhor e tanto em Cuba como Cabo Verde fui ao ginásio no hotel!

– ler 1 livro por mês – Já li ou ouvi (adoro audio books) 10 pelo que sim, este está a correr bem.

– viajar apenas uma vez por mês – Está melhor mas não está fantástico… Continuamos a estar um bocado cansados…

– escrever no blog – Sem dúvida que continuo a ser assídua aqui, pelo menos 3 vezes por semana!

– fazer um curso por semestre – Falhado redondamente!!!

E as vossas resoluções, como estão a correr?

Viagens

Siem Reap e Cambodja – impressões

A visita a este país trouxe reações contraditórias. A pobreza do país é visível e estar a descansar na piscina do hotel foi um murro no estômago porque nesse dia tinha visto crianças a tomar banho num rio muito poluído. No entanto defendo que o melhor que podemos fazer pelo crescimento económico de um país é visitá-lo. Não dou muito dinheiro lata caridades, não sou grande adepta porque não consigo ver o que é que a minha contribuição vai fazer pelo país mas o turismo não, é direta a criação de emprego, a diferença que vou fazer.

Primeiro que tudo a simpatia e humildade. A curiosidade em descobrir quem éramos, de onde vinhamos e para onde íamos. A alegria e o cuidado em decorar o nosso nome, em nos fazer sentir acarinhados e bem vindos ao país deles.

Mas por outro lado a pobreza. As crianças a vender nos templos (nunca comprem, só estão a fazer com que não vão à escola!), o facto de sermos constantemente abordados (a partir de um momento eu já nem respondia ou só dizia não). O facto de todas as compras serem negociadas (que nem sempre o fazíamos, as vezes perdíamos a paciência…). E o lixo por todo o lado, os cheiros muito duvidosos…

Por último os preços. Embora este tenha sido o sítio mais pobre que visitamos (muito mais que cuba por exemplo), foi sem dúvida o que achei que estávamos a ser abusados. Os bilhetes para os templos são caríssimos, as refeições custavam o dobro ou o triplo do que gastamos no Vietname, os tuk tuk estavam claramente a aproveitar-se. Para terem ideia o nosso hotel não fica no centro de Siem reap mas oferecia tuk tuk para irmos para o centro da cidade, e só tínhamos de pagar o de regresso. Disseram-nos que iríamos pagar cerca de 2 a 3 dólares se negociassemos. Experimentamos utilizar o Grab e só pagamos no máximo $1.5…

Por fim a moeda. Mal tocamos em moeda local. Tudo é transacionado em dólares a não ser que seja menos de um dólar, onde vos é dado o troco em moeda local. Isto é ótimo porque assim não tem de lidar com mais nenhuma moeda mas por outro lado significa que todos os preços estão inflacionados…

Em resumo, voltava? Sem dúvida!!!!

E que comecem os posts sobre o Cambodja!

Viagens

Halong Bay

Halong Bay foi sem dúvida a razão pela qual queríamos ir ao Vietname. Ja tinhamos visto documentarios fantasticos, blogs, fotos e decidimos que tinha de entrar no roteiro! A baía atrai milhões de visitantes todos os anos, e e’ uma das maravilhas naturais do mundo!

Existem três modalidades de cruzeiros: um dia, dois dias (com uma noite no barco) e tres dias (com duas noites no barco). Nós optamos por fazer a versão de dois dias/uma noite, que pareceu um bom compromisso.

Sabíamos a partida que nao necessitavamos de marcar com antecedencia, no entanto quando vi as opções disponíveis, que basicamente so variam entre si no conforto/luxo das cabines e do barco e na qualidade da comida oferecida, decidimos que pagaríamos o extra de marcar com antecedência mas não ter o stress de termos de decidir isso durante as ferias.

O melhor site que encontramos para ver as opcoes disponiveis e’ o Halong Bay Tours. Depois de muito pesquisar decidimos marcar no Glory Legend Cruise. A opção que escolhemos era de um segmento médio e ficamos super satisfeito. Pagamos $280 pelos dois dias/uma noite e incluia todas as refeições (almoço e jantar no primeiro dia e pequeno almoco no segundo dia).

Creio que o programa dos cruzeiros e’ muito semelhante. Não tivemos muito tempo de descanso, havia imensas atividades a fazer: kayak, cooking class, visitas a grutas, tai-chi!

E depois ha as vistas. Perdemos conta a quantidade de fotos que tiramos nestes dois dias!

 

Viagens

Hanoi

Hanoi não foi sem dúvida o objetivo de ir ao Vietname. A capital do Vietname não guarda em si sítios ou monumentos que valem a pena viajar de proposito para esta cidade. No entanto, tendo em conta que iriamos usar Hanoi como base para ir a Halong aproveitamos para a visitar.

Uma das principais atrações da cidade e’ o lago Hoàn Kiếm. No meio de uma das cidades mais caóticas que já visitei este lago traz uma tranquilidade incrível!

Nesta zona podem ainda visitar o templo Đền Ngọc Sơn. A entrada custa 30,000 Dong. Embora possa parecer que e’ imenso na verdade 10,000 dongs vietnamitas eram £0.30/ E0.38.

Um pouco mais afastado do Old Quarter podem encontrar outras atrações:

  • Thăng Long Imperial Citadel
  • Mausuleu Ho Chi Minh e a One Pillar Pagoda
  • Tran Quoc Pagoda
Uncategorized

Alguma vez vais parar?

Muitas pessoas nos dizem que este ritmo de viagens não é sustentável. Outras auguram que quando (se) tivermos filhos as viagens vão parar.

A verdade é que acredito que jamais vamos parar de viajar. Acredito com todas as minhas forças que não. E a realidade a minha volta mostra exatamente o mesmo. Escrevo este post saída de um cruzeiro na baía de Ha Long. Neste cruzeiro apanhamos um casal de portugueses com filhos da nossa idade que estavam a fazer uma viagem parecida com a nossa. As condições eram diferentes, eles marcaram um pacote com uma agência, é bem certo mas estávamos no mesmo cruzeiro que nós, a visitar os mesmos países que nós. Também neste momento em que escrevo este post está alguém que eu conheço no Japão com o filho de um ano e meio.

Viajar não tem idade nem tamanho de família. É apenas a vontade de conhecer o mundo e a capacidade de adaptação que limitam ou não onde queremos ir…

Viagens

Hoteis em Hanoi

Em Hanoi ficamos duas noites, uma antes do cruzeiro e outra depois. Como encontramos varias opcoes de alojamento interessantes e a um preco fantastico decidimos ficar em dois hoteis diferentes. Eu sei que tinha fotos dois dois mas nao encontro por isso tive de recorrer a fotos do booking.

Os dois hotéis onde ficamos ficavam no “old quarter” que e’ onde acontece tudo e a única região onde o cruzeiro nos ia buscar/levar.

Na primeira noite ficamos no Golden Rooster Hotel. Pagamos inicialmente £24.46 pela noite mas acabamos por fazer um upgrade por £8 porque o hotel nos informou que o quarto que reservamos era perto da cozinha e eu sou muito sensível a sons.

A tarifa que reservamos já tinha pequeno almoço incluído e valeu muito a pena! O quarto onde ficamos era bastante grande e super confortável, assim como a casa de banho.

O segundo hotel onde ficamos foi o Hanoi V Maison Boutique Hotel. Neste hotel não fizemos upgrade e ficamos num quarto interior. Quando optamos por este quarto não sabíamos a sorte que estavamos a ter. E’ que embora o quarto fosse interior ficamos muito perto de um bar e a música durou até muito tarde. Eu acabei por dormir de headphones :(. Tirando isso o hotel era bastante bom e confortável assim como o pequeno almoço. Pagamos £21 por este hotel