Uncategorized

Estereotipos da emigracao

Há dois dias tive oportunidade de ver um espetáculo de stand up comedy em português. Normalmente não embarco em eventos de nicho (ou gueto), com excepção de dois ou três músicos que sigo e faço questão de ver quando vem a Londres, mas fomos convidados e nao recusamos. O espetáculo consistiu em três humoristas que vieram de Portugal (Rui Sinel de Cordes, Hugo Sousa e Rui Cruz) e um que vive cá (Andre de Freitas). O Andre, super engracado, falou em imensos estereótipos portugueses em que, pela primeira vez, nao me encaixei, mas achei interessante falar por aqui.

  • Portugueses vivem em Stockwell – fui a Stockwell uma mao cheia de vezes (duas das quais para ir ao curso de preparação para o casamento). Nao gostei, nao me identifiquei, só lá vou quando passo perto e aproveito para ir a uma loja de produtos portugueses…
  • Portugueses trabalham em hotelaria – nenhum dos meus amigos trabalha ou trabalhou neste setor. Temos uns vizinhos que trabalham no setor mas não fazem parte do meu círculo.
  • O motivo pelo qual estamos no Reino Unido e’ dinheiro – claro que ajuda, mas nao, não é essa a razão que me motiva. Para mim e’ o respeito pela minha vida pessoal e as oportunidades que são criadas justamente.

Estes foram os estereótipos que foram falados pelo André mas lembrei-me de outros que se juntam:

  • Portugueses só fazem férias em Portugal – não é de todo o nosso caso (ou este blog nao existiria) mas é de várias pessoas ao nosso lado. Nao julgo, nao condeno, mas não é para mim para já.
  • Portugueses só convivem com portugueses – meio verdade para mim. Trabalho num ambiente em que nao ha um unico tuga e sinto-me 100% integrada. No entanto o nosso círculo de amigos é composto por provavelmente 80% de portugueses.
  • Portugueses acham que a sua comida é a melhor do mundo – não é de todo o meu caso. Eu digo várias vezes que se tivesse de comer apenas a culinaria de um país para o resto da vida seria a comida italiana.

E voces? Encaixam-se nestes estereotipos? Que outros estereotipos me faltaram?

Viagens

Como organizar uma viagem com vários destinos?

Nao escrevo este post com o mindset que sei tudo. Nem de longe nem de perto. Depois de 10 anos a viajar de forma mais ativa ainda aprendo constantemente. No entanto, depois de mais de 50 paises visitados encontrei uma folha de excel que me ajuda.

  • Coloque todas as informações sobre os voos numa folha de excel. Eu encontrei esta fantástica do Viajo Logo Existo que pode ser utilizada de forma gratuita. Em baixo está um exemplo de como utilizei esta folha na viagem do Sudoeste Asiático.

Capture.PNG

  • Guarde todas as suas reservas online numa plataforma de partilha de documentos. Eu e o J. usamos o Dropbox mas tem tambem por exemplo o Google Docs
  • Quando arquivar as suas reservas online utilize sempre o mesmo esquema de nome para os documentos. Comece sempre pela data pois assim fica mais facil consultar.

Nos usamos: [ano-mes-dia] [meio de transporte] [localizacao] [nome]. Exemplo: “2019-04-22_23 Hotel Hanoi Golden Rooster Hotel”

Capture.PNG

  • Antes de marcar os voos todos faça uma simulação de voos e coloque numa folha de excel para perceber se e’ possível fazer o itinerário que pretende. No caso da viagem deste ano para a Asia foi possível fazer o que queríamos mas a viagem que pretendemos fazer em 2020 para a Asia teve de ser alterada
  • De preferencia por voos diretos em vez de escalas
  • Se for viajar por várias companhias aéreas anote quais as politicas de malas que cada uma tem.

Bagagem.PNG

  • Leve dinheiro vivo em Dólares ou Euros. Estas duas moedas são facilmente usadas e trocadas em qualquer parte do mundo.
  • Imprima todas as reservas. Nunca se sabe quando e’ que um telemovel fica sem bateria, o perde, e’ roubado. Ja se sabe o seguro morreu de velho! (dica da querida Marshmallow!)

E por ai, mais alguma dica?

Viagens

Istambul e a comida

Quem já me segue aqui há algum tempo já percebeu que eu e o J. adoramos comer. Em todas as viagens tentamos mergulhar ao máximo na gastronomia local e a comida do médio oriente está no topo das nossas preferidas. Cada refeição que fizemos foi um autêntico banquete!

Sinceramente comem bem em qualquer lado no entanto dois dois restaurantes onde fomos agradaram-nos particularmente:

Mivan Restaurant Cafe – um cafe/restaurante super giro mesmo em frente ao nosso hotel.

Old Ottoman Cafe & Restaurant – um restaurante bastante pequeno onde podem provar um prato que é feito em slow cooker dentro de um pote de barro

Viagens

Turquia e Istambul – Dicas soltas

Sabem quando tem informação que acham que e’ importante passar mas acham demasiado pouco para fazer um post sobre isso? Pois, este post vai ser mesmo assim. Nos dias que estivemos em Istambul aprendi algumas dicas achei importante passar aqui. Algumas delas só aprendi lá e se soubesse com antecedência me tinham dado imenso jeito, por isso queria passa-las aqui:

  • Taxas de levantamento –  não encontramos nenhum multibanco que não cobrasse taxas, mesmo ao nosso querido Revolut. Tentamos algumas 15 caixas de multibanco e o mais barato que encontramos foi por 15 liras turcas (cerca de 2 libras)
  • Agora é preciso tirar visto com antecedência, podem faze-lo online atraves deste site
  • O aeroporto mudou muito recentemente e o novo aeroporto fica super longe da cidade (mais de uma hora de carro)
  • O gelado turco tem textura de pastilha elástica (facto nada importante mas pronto)
  • Se forem carregar o cartão de viagens do metro tem de por dinheiro certo, a máquina não dá troco (ficamos FULOS da vida!)
  • Ainda sobre o cartão de viagens, podem partilhar um cartão por várias pessoas
  • Finalmente última dica sobre o cartão de viagens, podem usa-lo no autocarro que faz ligacao entre a cidade e o aeroporto

 

2019-06-29 14.32.08_2019-06-29 14.32.17_0000.jpg

Dia a Dia

Castelos no ar

Eu sou assim por natureza. Crio castelos no ar, projetos que não conseguirão sair do papel, ou ate da cabeca. Talvez porque tenha uma profissão altamente criativa, mas na verdade sou mesmo assim. O meu pico normalmente é atingido nos minutos antes de dormir, quando estou já deitada na cama, de luz apagada a ver se o sono chega. E isto irrita-me profundamente porque na maioria das vezes não me lembro em que é que estava a pensar quando acordo e fico o dia inteiro a pensar nisso.

O meu último “castelo no ar” foi concluído ontem ha noite. Como conseguem ver na descrição eu sou do Luso. No entanto já não tenho família direta a viver lá e não vou lá há mais de 6 anos. Mantenho contacto com amigos e família afastada mas nunca mais la fui. E na minha cabeça fiz um projeto, ir dois dias la, pesquisei ate hotéis, onde ia comer, onde iria… Ate sitios onde queria tirar fotos… Bem concreto nao e’? Pois, mas esqueci-me de um pormenor, nao disse ao J. E’ verdade que não marquei nada mas esqueci-me de dizer a pessoa que supostamente irá comigo… Quando falei com ele, tinha o plano todo pensado e ele foi apanhado de surpresa… Não que tenha dito que não, pelo contrario. Estou a tentar conectá-lo às minhas origens e ele gosta de ir lá, mas ficou abismado pelo detalhe do plano. Mas felizmente ele conhece-me bem e sabe que nao faco por mal…

Mas estes castelos no ar nao sao so sobre vida pessoal. As vezes faço campanhas e eventos na minha cabeça, sonho com eles e de manhã quando acordo nao consigo lembrar-me o que era.

Mesmo este post foi começado ontem a noite, na minha cabeça. E claro, nao me lembrava exatamente o que queria dizer, com muita pena… Gostava de ter o pensatório que o Dumbledore tinha, seria super util, tenho a certeza (alerta Harry Potter geek!!)

Viagens

Istambul – o que ver?

Istambul e’ um optimo city break. Dois dias completos são, sem sombra de duvida, suficientes para ver os pontos principais da cidade. A única coisa que tem de ser ter em atenção e’ que existem imensos sítios que estão fechados ao domingo e, como tal, e’ importante fazer um itinerario com antecedencia. Nós decidimos focar-nos nos pontos que não dispensavamos e reduzimos bastante o número de pontos que visitamos.

Mesquita Azul – e’ o ponto mais importante de Istambul e também o mais visitado. A dimensão da mesquita e’ absolutamente impressionante, e consegue-se ver de grande parte da cidade. A entrada foi gratuita e embora tenha lido que existe um horário de entrada embora não seja cumprido a 100%. O nome da mesquita advém dos mais de 20.000 azulejos que adornam o interior da mesquita.

Santa Sofia – situada mesmo em frente a Mesquita Azul sem duvida que esta mesquita merece uma visita. A entrada e’ paga e prepare-se para ficar algum tempo a espera para entrar.

Grande Bazar – sem dúvida o centro nevrálgico da cidade e onde vão encontrar mais vida. Também é óptimo para comprarem as vossas lembranças para levarem para casa mas terão de ter uma óptima capacidade de negociação. Nós optamos por comprar fora do mercado porque nao temos paciencia… Atenção que o mercado nao esta aberto ao domingo.

 

Palácio Dolmabahçe – Este palácio fica um pouco afastado do centro mas se vale a pena! Para nós foi sem sombra de dúvidas o ponto alto da viagem. O Palácio Dolmabahçe e’ o maior edificio do país (com 285 quartos, 43 salas, 68 casas de banho e 6 banhos turcos), uma fachada de mais de 600 metros e uma superfície de 15.000 metros quadrados!

Quando uma das minhas bloggers preferidas foi a Istambul um dos posts que mais gostei foi sobre banho turco. Quando comecei a pesquisar sobre fazer banho turco quando estivessemos em Istambul percebi que tínhamos um problema porque normalmente não existem homens e mulheres misturados. E então decidi não perder muito tempo e ir mesmo aquele que a Dri foi. Tivemos sorte que estivemos lá quase sempre sozinhos, muito porreiro! Recomendo muito a experiencia. Nao se esquecam de levar euros para pagar, fica mais simples!

20190630_121214.jpg

Para além destes pontos ainda recomendo que visitem o Yerebatan Saray, o Palácio e Harem de Topkapı.

Viagens

Como ir do aeroporto de Istambul para o centro

Quando compramos os voos era suposto termos voado para o aeroporto antigo de Istambul, no entanto este aeroporto fechou e o nosso voo foi transferido para o novo aeroporto. No novo aeroporto não existe metro e nao e’ facil perceber bem se existem transportes públicos. Isto aliado ao facto de irmos chegar por volta da meia noite fez-nos decidir reservar um transfer privado, que custou cerca de £30. Reservamos o nosso através do site Mozio e correu tudo bem. A hora combinada estavam nas chegadas e soube-nos pela vida fazer a viagem num taxi privado…

No entanto nao marcamos transfer de volta de proposito. Queríamos explorar a possibilidade de usarmos transportes publicos para chegar ao aeroporto. E para quem acha que somos loucos e’ apenas uma questão de escolha. Quando podemos poupar fazemo-lo e em transfers e’ onde mais fazemos.

Para regressar usamos um autocarro shuttle da empresa Havaist. Saem constantemente da mesquita azul. Para pagarem podem utilizar o cartão do metro e podem usar o mesmo cartão para os dois caso tenham salvo. Podem ver a localização aproximada no mapa em baixo. O autocarro era novo e tinha ar condicionado, wifi e carregador para o telemóvel.

E então qual foi a diferença em termos de custos? Pelo transfer privado pagamos £31.03 e pelo regresso £5.09. Ou seja, o transfer privado custa SEIS VEZES MAIS do que o autocarro….

Viagens

Turquia – custos e impressões

Quando começamos a procurar um destino para festejar os anos do J. sabia que queria ir a um destino quente mas não de praia pois seria muito perto da viagem de cabo verde. O que não pensei foi que iria ser menos de 48 horas depois de chegar de Cabo Verde. Existe uma explicação para ter feito essa loucura que tem a ver com os dias de férias do J. mas não vale a pena entrar em pormenores…

Todos sabemos que viajar no verão é caro e, sempre que posso evito. No entanto encontramos uns voos não muito caros com a minha companhia aérea e aeroporto de eleição (British Airways / Heathrow) e ainda conseguiu um desconto usando pontos que tinha e pronto lá fomos. Voamos na sexta ao fim do dia e regressamos na segunda feira. Suficiente para visitar Istambul, insuficiente para ir a qualquer outro sítio do país, mas não há problema, é da maneira que voltamos.

Istambul foi óptimo para um city break. Estávamos com medo do calor mas não estava nada desagradável, cerca de 30 graus mais do que suportáveis. Nós adoramos comida do oriente médio por isso deliciamo-nos a todas as refeições. A cidade tem diversos pontos super interessantes para que exista sempre algo que fazer mas sem que fique demasiado cheio. Eu acabei por ficar doente no domingo à noite (nada de grave) e acabamos por não fazer nada na segunda feira mas mesmo assim conseguimos cobrir todos os pontos que queríamos.

Por fim os custos:

Voos – £116.72/€130 por pessoa

Vistos – £16.36/€18.16 por pessoa

Hotel – £161,70/€180 para os dois por 3 noites

Transfers – £31.03 na ida e £5.01 no regresso (escreverei sobre isso num post a parte) para os dois (40 euros)

Comida – £49.24/€54.65 por pessoa

Banho Turco – £35.94/€40 por pessoa

Entradas em atracoes – £17/€18.87 por pessoa

Outros – £11.33/€12.57 por pessoa

Total: £345.46/€383.46 por pessoa

20190629_142345.jpg

 

 

 

Viagens

Tours na Boavista, Cabo Verde

Por norma quando vamos a hoteis deste genero fugimos dos tours dos hoteis. As excepções foram Cuba e agora Cabo Verde. Bem sei que podíamos ter feito estes tours marcando diretamente no hotel ou com agências locais mas tenho a dizer, acobardei-me. Fui com uma amiga e nao me senti confortável a ir com outra mulher, apenas as duas, com alguém que não fosse contratado pela agência de viagens. Talvez numa próxima mas desta vez nao deu…

Com a Tui fizemos dois passeios: Postais da Boavista e Sul da ilha num 4/4. Uma dica desde ja, se marcarem com a Tui eles tem um desconto por marcarem as duas juntas. Inicialmente so marcamos uma mas quando fomos marcar a segunda eles fizeram o desconto.

Os dois tours ficaram por £92.43 por pessoa. Separados custavam cerca de £125 salvo erro.

O tour Postais da Boavista e’ o mais popular. Basicamente passa pelos pontos mais turísticos da ilha: a capela de Fatima, os escombros do Navio no Cabo de Santa Maria e  Fundo das Figueiras para almoçar. Nos tivemos imensa sorte porque fomos no dia de S. João e havia festa rija neste ultimo ponto.

No tour do Sul da ilha vao visitar Rabil, Povoação Velha, o deserto de Viana, uma demonstração de cerâmica e Santa Monica. No deserto de Viana podem fazer sandboarding, nos fizemos e amamos!

Foto do artesanato por CL

 

 

Viagens

Hotel Riu Touareg

A escolha do hotel em Cabo Verde teve apenas em consideração dois fatores: a cadeia de hotéis e o preço. Dos hotéis que tínhamos à escolha recomendaram a cadeia Riu, pelo que decidimos por essa mesmo. O Touareg ficava mais em conta e foi então o escolhido.

O Riu Touareg fica localizado no sul da ilha e não existe nada a volta. Nada mesmo! Pode claro apanhar táxis para vilas a volta mas como estávamos sozinhas e eu sou um bocado medricas não arriscamos e marcamos tudo com o hotel.

Com cerca de 1100 quartos e capacidade para quase 2500 pessoas quando descobrimos isto ficamos assustadas. Pensamos que ia ser mega confusão, que íamos ter fila para tudo mas não podíamos estar mais enganadas. Tirando as cadeiras à volta da piscina que ou se vai cedo ou fica difícil encontrar uma com sombra, não encontramos filas para nada. E em nenhuma altura senti que estavam aqueles milhares de pessoas lá dentro.

Os quartos não eram nada de especial, não vou mentir. O ar condicionado não era muito forte, não tinha banheira, o chuveiro tinha cortina manhosa e não tinha luz e apenas o cubículo da sanita tinha porta…

A net em teoria só funcionava nos restaurantes e na piscina mas nós tivemos no quarto. Bastante rápida até, consegui fazer vídeo chamadas com o J. sem problemas!

A piscina era bastante grande e se fossem cedo encontravam na boa espreguiçadeiras. Se fossem um pouco mais tarde so encontravamos espreguiçadeiras ao sol. Na verdade passamos a maior parte do tempo na piscina de qualquer maneira pelo que não fazia grande diferença…

20190623_190103.jpg

O hotel tinha um SPA com um jacuzzi e um banho turco. Fomos lá algumas vezes principalmente pela sombra e por ser super calmo…

Foto da esquerda por CL

Quem convive comigo sabe o horror que tenho a restaurantes tipo buffet e hotéis tudo incluído. Tenho por princípio assumir que se o valor é baixo é porque vou comer mal. E por norma em restaurantes de hotéis tudo incluído tenho muito más experiências. A única exceção que tinha tudo até hoje tinha sido o hotel onde ficamos na lua de mel que tinha uma série de restaurantes temáticos aos quais nem marcação era necessário fazer. Mas mesmo nesse o buffet era um bocado esquisito e na maioria dos dias optamos por pedir comida à beira da piscina. No entanto o hotel Riu Touareg foi uma excepção. Talvez porque olhasse a volta e visse a pobreza na qual eles vivem, ou porque me fiquei muito pelas saladas, gostei bastante da comida. Ao pequeno almoço e ao almoço pode escolher fazer neste restaurante ou no restaurante junto a piscina. Ao jantar pode escolher entre um dos restaurantes temáticos (Cabo Verdiano, asiático ou italiano) que funciona por marcação ou num dos dois buffets. Nos só percebemos a meio da semana deste segundo buffet e principalmente ao jantar. Super calmo, com música ao vivo, comida temática todos os dias, foi o nosso buffet preferido. Até chegamos a ir lá comer só entradas (porque tínhamos marcação num restaurante temático) apenas para ouvir a música ao vivo.

Cristina1.jpg
Foto: CL

Quanto a animação sou sincera, acho tudo uma xaropada! Odeio as aulas da piscina, os espetáculos à noite e afins. Não é que fossem maus, a verdade é que nem experimentamos… Também havia uma sala de karaoke (nem vale a pena descrever a labreguice) e uma discoteca onde metemos os pés uns 20 minutos numa noite. Lamento se é a vossa cena, não é a minha. Eu vou para este tipo de hotéis para sopas e descanso….