Uncategorized

25 anos

Por mais anos que passem nunca irei esquecer… Podem passar anos e décadas, a tua luz brilhará sempre em nós…

Lurdes,

Quando a vida te sorria partiste,

Sonhos tão belos ficaram por realizar.

Alma triste e sonhadora

Partiste,

E a saudade ficou em teu lugar.

 

20181127_184952.jpg

Não guardo comigo muita coisa mas esta receita foi escrita a mão pela minha mãe há mais de 25 anos e está guardada dentro do livro de culinária dela, que guardo e carrego comigo. Não faço ideia se alguma vez a fez mas ver uma página de papel que foi escrita à mão por ela dá-me um aconchego à alma tão grande que sinto o abraço quente e perfumado que me dava todos os dias.

Faz também hoje 15 anos que descobri que ia ser tia. Por isso este dia também tem um sabor tão bom!

Viagens

Sao Petesburgo – O roteiro e o que ver

No total passamos 5 dias e 4 noites em Sao Petesburgo. No entanto, por causa do horario do (unico) voo da British Airways perdemos na verdade o primeiro e ultimo dia quase na totalidade.

Dia 1

Voo Londres – Sao Petesburgo

Bailado no Teatro Miinksy a noite

Dia 2

Visita guiada (free tour) de manha

Visita ao Museu Hermitage de tarde. Nao me quero alongar muito sobre este museu mas estamos perante um dos maiores museus do mundo. A coleccao e’ sem duvida de admirar pois inclui obras de Picasso a Leonardo Da Vinci mas tambem o proprio edificio e’ de deixar o queixo aberto. Nao vai conseguir visitar os 10 edificios que somam mais de 450 divisoes, pelo que escolha bem o que quer visitar. Uma dica, a sexta feira o mseu fecha mais tarde pelo que e’ um bom dia para visitar.

20181008_113144.jpg

Dia 3

(re)Visita dos principais de Sao Petesburgo:

Catedral de S. Isaac – Comece a sua visita por esta catedral, a maior da cidade. A sua cupula, uma das maiores do mundo, alberga uma das melhores vistas da cidade, pelo que nao deve perder! O bilhete de visita ao topo e’ separado do da visita a igreja.

2018-10-08 11.45.48.jpg

2018-10-06 11.18.35_2018-10-06 11.18.41-1_0000.jpg

2018-10-06 11.42.52.jpg

Edificio Admiralty – Um dos edificios mais antigos de Sao Petesburgo que alberga hoje em dia a escola naval.

2018-10-06 12.08.12_2018-10-06 12.08.14_0000.jpg

Catedral de Nossa Senhora de Caza – a sua fachada e’ sem duvida do mais imponente que ja vi mas nao deixe de visitar o interior ate porque e’ gratuita.

2018-10-06 14.05.00_2018-10-06 14.05.01_0000.jpg

Casa Singer – No inicio do seculo XX a singer quis instalar uma delegacao na Russia e mandou construir este edificio de beleza singular. No entanto a primeira guerra mundial rebentou e os planos da Singer foram por agua a baixo. Aqui funciona actualmente uma das maiores bibliotecas do mundo

Igreja do sangue derramado – o melhor para o fim! Este que e’ o simbolo de Sao Pestesburgo deve ser explorado com tempo. Desde o exterior com as suas cupulas que nao parece real ao interior decorado a 100% por mini-mosaicos que criam obras unicas!

Metros – Tera o seu post separado

Dia 4

Visita ao Palacio Catarina – tera tambem um post separado

Dia 5

Passeio para tirar as ultimas fotos

Voo para Londres

Uncategorized

Internet na Russia

A internet veio revolucionar o mundo, ninguem duvida disso. E a internet no telemovel veio revolucionar as nossas viagens. Se antes levavamos o itinerario todo feito e que transportes tinhamos de apanhar evitando sempre autocarros, agora nao hesitamos em apanhar um autocarro mesmo na Russia porque em qualquer altura podemos ver no google qual a melhor opcao, em que paragem sair, etc.

O nosso tarifario de telemovel inclui uma serie de paises (para alem dos da uniao europeia) em que podemos utilizar o nosso plafond de dados, no entanto a Russia nao esta incluida. Assim sendo tivemos de encontrar uma alternativa. Depois de alguma pesquisa percebemos que a melhor opcao seria comprar um cartao de telemovel la. Por cerca de 400 rublos (cerca de 4 libras) compramos um cartao com 3 Gb de internet. Nao se esquecam de levar o passaporte convosco porque precisarao de o mostrar.  Compramos o nosso numa loja desta marca, junto a estacao de Moskovskaya (o sitio onde para o autocarro que chega do aeroporto). Basta encontrarem uma loja da cadeia na imagem em baixo e dizerem que precisam de um cartao para utilizar a internet. O staff sabia falar ingles perfeitamente pelo que foi super simples.

DICA: nao se esquecam de levar um telemovel desbloqueado.

Tienda-de-Megafon-Telefonia-movil-Rusia.jpg
Imagem retirada daqui.
Viagens

Mercados de Natal na Europa

Qual o melhor tema para iniciar Dezembro? Isso mesmo, Natal!! Todos os anos eu e o J visitamos um mercado de Natal. Apesar de a minha profissão me deixar um pouco farta de natal quando chega esta época mágica fico logo então espírito Natalino e esqueço os aborrecimentos. Assim aqui vai um post muito especial sobre os mercados que já visitamos:

– Londres – os mercados mais conhecidos são o de Southbank e o Winter Wonderland. Enquanto o primeiro e um mercado tradicional germânico apenas com barracas a vender artesanato, doces, salsichas, cerveja e vinho quente o Winter Wonderland é um autêntico parque de diversões. Pista de gelo, espectáculos, roda gigante, carrosséis e imensas barracas de artesanato, comida e bebida, é um dos mercados mais famosos da Europa. Vale a pena a visita principalmente durante a semana. Ao fim de semana fica tão cheio que é quase impossível lá andar. A entrada é gratuita, só tem de pagar pelas diversões que quiser usar. Fica localizado no Hyde Park. Mais informações aqui.

Berlim – A última passagem de ano foi passada nesta cidade e como tal tivemos oportunidade de visitar alguns mercados que ainda estavam abertos. Claro que os mercados são muito mais giros antes do Natal pelo que queremos voltar. Existem imensos mercados espalhados pela cidade. Localizações, datas e horários podem ser encontrados aqui.

Munique – este foi um dos primeiros que visitamos e um dos que mais gostei. Embora na verdade os mercados estejam espalhados um pouco por toda a cidade o maior (e melhor) ocupa a Marienplatz. Mais informação pode ser encontrada aqui.

Estugarda – esta cidade alberga um dos mais famosos mercados de natal na Alemanha e como temos família lá não podíamos deixar de visitar. E confere, é enorme e óptimo! O mercado é tão completo que até lojas existem no meio do mercado (em vez de barracas). Também tem imensas diversões para crianças e uma pista de gelo! Mais informações aqui.

– Essling – esta cidade situada a menos de uma hora de Estugarda guarda um dos mercados de Natal mais únicos da Europa, um mercado de natal medieval! Não contém com embalagens de plástico, luzes led infinitas, todo este mercado tenta recriar o que se passava há centenas de anos atrás. Sem dúvida que este mercado merece uma visita! Mais informações aqui.

– Zurique – esta foi a nossa escolha em 2017 e escrevi um post sobre os mercados de natal nesta cidade.

– Varsóvia – existem dois mercados de natal muito grandes nesta cidade, um à entrada do centro histórico e outro na praça do meio do centro histórico. Ambos valem muito a pena a visita. Não se esqueçam que a Polónia consegue ser ainda mais fria do que a Alemanha pelo que aconselho levarem agasalhos. Mais informações aqui.

Cracóvia – também tem um mercado óptimo. Uma vez que o visitamos depois de vir de Auschwitz a moral não estava lá mas sem dúvida que merece uma visita. Mais informações aqui.

Não se esqueçam, esta lista não é dos melhores mercados de Natal, mas sim daqueles que já tive oportunidade de visitar. No reino unido por exemplo existe outro que ainda não tive oportunidade de visitar e que é super conhecido, em Winchester.

Este ano vamos visitar Salzburgo, na Áustria. Estou MUITO entusiasmada porque é a estreia nos mercados austríacos!

 

Viagens

Como ir do aeroporto de São Petersburgo até ao centro da cidade

Quando se fala de Russia toda a gente tem uma historia para contar. Que se passou com eles, com o vizinho, com o gato da prima… E quando se fala em usar transportes publicos na Russia entao pronto, loucura!

Ir do aeroporto de Sao Petesburgo ate ao centro da cidade nao e’ assim tao dificil. Existem na verdade varias formas, umas mais caras do que outras:

– Taxi – mesmo no aeroporto podem marcar um taxi que vos vai levar do aeroporto directos ao vosso hotel. O custo e’ de cerca de 15 a 20 libras (17 a 22 euros mais ou menos). NUNCA, jamais em tempo algum apanhem um taxi sem ser marcado no balcao do aeroporto ou correm risco serio de pagarem muito mais!

– Transfer – quase todos os hoteis tem este servico e podem requisitar junto do hotel com antecedencia. O preco sera de acordo com a categoria do vosso hotel, se ficarem num albergue baratinho ou num hotel de cinco estrelas.

– Transportes Publicos – adivinhem la o que fizemos? Isso mesmo, apanhamos transportes publicos! Ha imensa informacao sobre isto mas em ingles, por isso aqui vai agora na lingua de camoes!

Quando chegarem as “chegadas” do aeroporto sigam as indicacoes “bus”, super simples. Depois apanhem o autocarro 39 ou 39E (que sao iguais, mas o “E” e’ ligeiramente mais rapido). O bilhete e’ pago la dentro a uma pessoa que vai recolher o dinheiro (em rublos) e custa 40 rublos por pessoa (0.52€ ou £0.45).

Saiam na paragem Moskovskaya que vos deixara mesmo ao pe do metro, linha azul. E’ facid identificar porque toda a gente que tem malas ira sair aqui. Dai e’ so’ apanharem o metro ate ao vosso destino final. No total entre autocarro e metro contem com uma hora entre o centro da cidade e o aeroporto.

No regresso e’ exactamente igual. Apanham o metro ate a estacao Moskovskaya (linha azul) e apanham o autocarro de volta ate ao aeroporto.

Nos pagamos cerca de 4 libras os dois para ir e vir entre metro e autocarro em vez de 40 libras… Pode nao parecer muito e’ nestas poupancas que nos conseguimos juntar dinheiro para fazer mais viagens.

Uncategorized

Maldita cafeína

Nunca gostei da moda das alterações radicais na alimentação. Ora são as papas de aveia que são altamente, como o óleo de côco que serve tanto para fazer refogados como para passar no rabo do gato (ler com sarcasmo!), ora o leite de vaca. Passei ao lado destas modas todas mesmo tendo um intestino com tendência para ser acelerado. Sei bem que devo ter intolerância a alguns alimentos mas enquanto eu aguentar assim será. Mas no início de 2018 tudo piorou. Diarreias diarias, desconforto abdominal. Todos os dias pensava que ia passar, todos os dias voltava. Depois de dois meses e tal aceitei que precisava de ajuda e marquei consulta. Mas enquanto esperava pela consulta alguém me falou na cafeína. Que era algo que afectava muito o intestino, que podia ser o meu mal. Mas eu bebo cafeína há mais de 14 anos diariamente, jamais podia ser isso. Mas desta vez o desespero falou mais alto e acedi. No dia que parei de beber cafeína a diarreia passou. O desconforto intestinal passou. Custou muito, era altamente dependente da cafeína.

Mas acima de tudo houve outra coisa que passou. As minhas dores de cabeça e as enxaquecas. Todas as semanas eu tinha umas 3 ou 4 dores de cabeça e pelo menos uma a duas vezes por mês tinha enxaquecas violentissimas. Sempre achei que era genetico, a minha mãe sempre sofreu muito com eles. E eu sempre tive dor de cabeça quando não bebia café, não podia ser. Mas foi… Depois de três longas semanas o meu corpo habituou-se a não ter cafeína. Senti que tenho muito mais energia (irónico, bem sei!), o intestino ficou mais regulado e as dores de cabeça quase desapareceram. De uma a duas enxaquecas por mês passei a uma em nove meses, de três a quatro dores de cabeça por semana passei a uma por mes e bem fraca e de evolução lenta!

Atenção que não me resolveu o problema dos intestinos completamente mas melhorou muito!

E como fugir à cafeína? Na verdade não bebia café há uns 4 anos. Quando mudei para o reino unido troquei o café pelo chá. E há alternativas ao chá inglês e ao chá verde (que bebo diariamente) sem cafeina! E felizmente as pessoas aceitam bem, melhor do que quando decido não beber álcool (irónico, bem sei!).

aroma-art-beverage-1251175

 

Imagem retirada do pexels.

Viagens

São Petersburgo – Custos

Como disse antes estava com receio dos custos na Rússia. No dia antes de vaijar uma das bloggers que sigo mencionou que a Rússia estava no topo dos países mais caros que já tinha visitado (a par com o Japão) e eu pensei que ia estoirar estourar o orçamento das viagens. Verdade seja dita que não é um pais barato mas o reino unido e muito mais caro. Ou os países das Escandinávia.

Assim sendo aqui vai o resumo dos custos:

Voo + hotel: comprei um pacote da British Airways que custou £222 por pessoa (voo + quatro noites)

Transportes: 1338 rublos/£15.36/17.45€

Comida: 16752 rublos/£192.39/€218.53

Entrada em atrações: 12900 rublos/£147.87/€168.43 dos quais 7200 rubkru foram para o bilhete do bailado

Extras: 3190 rublos/£36.62/ €41.61 – inclui souvenirs e cartão de internet

Total: £836.36 para os dois ou £418.18/ €476.43 por pessoa.

Mais uma vez o objetivo de gastar menos de £100/dia/pessoa foi cumprido com uma média de gasto de £83.64/dia/pessoa!

Viagens

Rússia – primeiras impressões

Quem nunca levou com um olhar esquisito porque disse que estava a pensar em ir à Rússia que se considere um caso raro. No meu caso, depois de Chernobyl o mundo percebeu que não vale a pena por isso deixei de levar bocas. Mas eu própria tinha fiquei surpreendida pela Rússia, mais concretamente por Sao Petersburg onde passamos 5 dias em Outubro deste ano.

1) esta mais frio do que pensas – a previsão da temperatura até era de cerca de 15 graus mas o vento GELADO fez com que a sensação térmica fosse bem mais baixa. Esqueci-me das luvas e do gorro e sofri… Muito!

2) é mais barato do que eu pensava – no dia anterior à viagem vi uma Blogger que sigo e que viajou para cerca de 100 países dizer que o Japão e a russia são os países mais caros para onde viajou. Sobre o Japao não concordo mas compreendo (os transportes e a viagens e avião são carotas) e fiquei com medo do que iria encontrar na Rússia. Claro que nunca fui a Moscovo mas não me posso queixar. Os transportes são cerca de 50 centimos, almoços sao a 10 libras para os dois, jantares entre 25 e 50, museus a um preço aceitável.

3) é seguro, mas… – pensem uma coisa, deixariam uma carteira aberta se estivessem em Lisboa? Pois, por aqui é o mesmo. Tenham em atenção às mochilas e aos bolsos, se alguém vos abordar em russo não respondam… O guia da visita que fizemos disse que o truque dos carteiristas por aqui é perguntar as horas em russo, se responderem noutra língua torna-se automaticamente numa potencial vítima. Por via de dúvida fiquem caladitos. Mas mais uma vez, não tivemos problema algum!

4) inglês – todos os momentos em que necessitamos de nós comunicar o nível de inglês era fantástico! Nos que não falavam em inglês foi por gestos! Até ousamos comprar um cartão SIM para ter internet e foi super fácil falar com os funcionários.

5) se acham que São Petersburgo e bonita de dia esperem por ver a noite!!

Uncategorized

Dinheiro em viagem

Esta é uma das questões que mais nos colocam em relação as viagens.

Como não moramos na zona euro temos sempre o problema da troca de dinheiro quando viajamos para fora do país. Ao longo do tempo percebemos quais foram os principais métodos que resultaram ou não connosco. Mas este não é de todo um artigo final. Os principais métodos que usamos para pagar coisas no estrangeiro hoje não são as mesmas que usávamos há dois anos e provavelmente não serão as mesmas que usaremos daqui a outros dois. Aqui vão em resumo:

Casas de câmbio – só utilizamos estas quando saímos da zona euro e só para entrarmos com dinheiro no país. Morro de pânico de não conseguir levantar dinheiro e, sempre que possível, levo moeda local comigo. Nunca muito, normalmente 50 a 100 euros trocados. Este método de troca de moeda é caríssimo e desaconselho vivamente.

 

Cartão de crédito do Post Office – é uma óptima solução para alugar carro ou fazer pagamentos porque não tem taxas de pagamento em moeda estrangeira. Não dá para levantar porque é suicídio financeiro levantar dinheiro com um cartão de crédito do reino unido (afecta o “credit score”). Mais informações aqui.

IMG_Credit_Card_category_page_header_2

Cartão de débito português – continuamos a ter conta en Portugal e, como tal, quando não conseguimos usar o cartão de crédito usamos os cartões das nossas contas em Portugal. Se, tal como nós, começou a pagar comissões bancárias na sua conta (obrigada caixa geral de depósitos) aconselho que mudem para o banco CTT, foram fantásticos connosco.

Cartão de débito e crédito inglês – evitamos ao máximo porque o nosso banco cobra taxas de levantamento e pagamento em moeda estrangeira

Cartão Revolut – basicamente escrevi este texto para falar no Revolut. Este cartão de crédito é uma pequena maravilha! Custa £5/€6 mas vale cada centímo porque permite fazer levantamentos (até £200 por mês) e pagamentos (valor quase ilimitado) sem pagar qualquer taxa e a taxa de câmbio é perto da oficial! É muito muito bom, vale a pena! Se tiverem hipótese façam um da visa e outro do MasterCard (que foi o que eu e o João fizemos) porque às vezes uns países cobram taxas nuns mas não nos outros a levantar dinheiro (na Ucrânia o MasterCard pagava taxas e no Japão o visa pagava taxas). Uma das principais vantagens é o facto de ser pré pago, poder carregar instantaneamente e poder ser controlado por uma aplicação no telemóvel. Este artigo do alma de viajante é muito completo.

104825410-RevCard.530x298
Cartao Revolut
Uncategorized

Mykonos

Mykonos estava na lista dos sonhos, mas mais em baixo. A fama das festas na praia e do excesso de álcool que tem fez com que não me atraísse assim tanto. Mas Santorini fica logo ali e eu o voo de regresso ficava substancialmente mais barato de la pelo que decidimos dar um saltinho.

Tal como Santorini a estadia em Mykonos fica carota. Como não queríamos deixar la meio ordenado optamos por ficar mais fora da vila de Myknos e embora a caminhada fosse dura (uns 20 minutos sempre a subir) o que poupamos foi muito!

Decidimos então ficar no Margie Mykonos hotel e não nos arrependemos nem por um bocadinho. A vista da piscina sobre o porto era fantástica e tinha um pequeno almoço como poucos que já experimentamos.

2017-09-17 19.20.39_2017-09-17 19.20.55_0000.jpg

Quanto ao que fazer sou sincera, não saímos de Mykonos. Tinhamos planos de ir visitar a ilha toda, alugar uma moto como fizemos em Santorini mas os planos não saíram do papel. Assim de manha ficamos na piscina a aproveitar o optimo tempo, na hora do calor descíamos ate Mykonos onde ficávamos ate jantar.

A vila de Mykonos, tal como Oia tem muitos pontos fotogénicos, tais como as ruas estreitas com chao pintado, as casinhas com escadas estreitas, a baia, as esplanadas sobre o mar e os moinhos. Por isso andem muito, sem rumo, aproveitem todos os cantos para tirar fotos, parem em todas as esplanadas para aproveitar o bom tempo, como disse o J. não há mas fotos em Mykonos!